Fusões no Cinema encerra com ciclo dedicado à Animação

Após a 23ª edi­ção dos Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês, con­ti­nua a pro­gra­ma­ção do Ciclo Fusões no Cine­ma. Entre os dias 12 e 21 de dezem­bro, no Mini-Audi­tó­rio Sal­ga­do Zenha, há um total de sete fil­mes em exi­bi­ção.

A reto­mar iní­cio no dia 12 de dezem­bro, temos “Pron­to Era Assim”, de Joa­na Noguei­ra e Patrí­cia Rodri­gues, e “Per­se­po­lis” de Mar­ja­ne Satra­pi e Vin­cent Paron­naud, uma cur­ta e uma lon­ga metra­gem de ani­ma­ção, res­pe­ti­va­men­te. O pri­mei­ro é um fil­me de ani­ma­ção com carác­ter docu­men­tal, em modo de entre­vis­ta e onde, de for­ma des­con­traí­da, os pro­ta­go­nis­tas con­tam epi­só­di­os da sua vida: como foi cres­cer, namo­rar, casar, tra­ba­lhar e até emi­grar, num tem­po em que a manei­ra de viver era dife­ren­te. Já a ani­ma­ção fran­ce­sa “Per­se­po­lis” con­ta a his­tó­ria de uma jovem ira­ni­a­na que sonha em ser viden­te, acom­pa­nhan­do de per­to a que­da do Xá e do seu regi­me bru­tal. No entan­to, ela aca­ba por se revol­tar con­tra as impo­si­ções fun­da­men­ta­lis­tas dos rebel­des, espe­ci­al­men­te con­tra as mulhe­res.

Jas­mi­ne” esta­rá em exi­bi­ção no dia 14 de dezem­bro. Ven­ce­dor do César de Melhor Cur­ta-Metra­gem de Ani­ma­ção, Alain Ughet­to rea­li­zou a ani­ma­ção “Jas­mi­ne” em 2013, fil­me que aca­bou indi­ca­do ao Pré­mio do Cine­ma Euro­peu de Melhor Ani­ma­ção.

No dia 15 de novem­bro, será a vez de “A Pai­xão de Van Gogh”, de Doro­ta Kabi­e­la e Hugh Wel­ch­man, um “bio­pic” sobre o famo­so pin­tor Vin­cent Van Gogh, apre­sen­tan­do-se como a pri­mei­ra lon­ga metra­gem “com­ple­ta­men­te pin­ta­da do mun­do”.

$9.99” da isra­e­li­ta Tatia Rosenthal será exi­bi­do a 19 de dezem­bro. Este fil­me con­ta a his­tó­ria de um desem­pre­ga­do de 28 anos enquan­to cir­cu­la pelo pré­dio onde mora, cap­tu­ran­do frag­men­tos das vidas dos seus estra­nhos vizi­nhos. A abrir esta ses­são, será exi­bi­da a cur­ta-metra­gem “Chhaya” de Deban­jan Nandy, que traz até nós a his­tó­ria de um ido­so que vive com a memó­ria da sua espo­sa como a sua pró­pria som­bra.

Por fim, no dia 21 de dezem­bro, pro­je­ta-se “A Can­ção do Mar” de Tomm Moo­re, uma ani­ma­ção base­a­da em vári­os mitos do fol­clo­re irlan­dês.

As exi­bi­ções come­çam às 22 horas no Mini-Audi­tó­rio Sal­ga­do Zenha e são de entra­da livre.