Módulo “Argumento 1” dá início aos módulos nucleares da 9ª edição de Cinemalogia

No pró­xi­mo fim-de sema­na, nos dias 8 e 9 de dezem­bro, come­çam os módu­los nucle­a­res da 9ª edi­ção do Cur­so de Cine­ma “Cine­ma­lo­gia” pro­mo­vi­do pelos Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês e pela Uni­ver­si­da­de Aber­ta des­de 2011.

O pri­mei­ro módu­lo “Argu­men­to 1”  terá a dura­ção de 16 horas e decor­re­rá entre as 9h30 e as 18h30 de dia 8 e 9 de dezem­bro no Depar­ta­men­to de Enge­nha­ria Infor­má­ti­ca da Uni­ver­si­da­de de Coim­bra e será leci­o­na­do por Cláu­dia Cle­men­te, arqui­te­ta de for­ma­ção, divi­de o seu tra­ba­lho atu­al entre a escri­ta e a rea­li­za­ção cine­ma­to­grá­fi­ca, entre a fic­ção e os docu­men­tá­ri­os.

Duran­te o módu­lo de argu­men­to o gru­po de tra­ba­lho irá ana­li­sar, dis­cu­tir e expe­ri­men­tar a arte do argu­men­to. Do momen­to em que pen­sa­mos uma ideia até à sua exe­cu­ção final: o fil­me. Todos os dias ouvi­mos his­tó­ri­as, idei­as dis­pa­ra­ta­das, bio­gra­fi­as con­vin­cen­tes e em todas elas pare­ce exis­tir a pos­si­bi­li­da­de de cine­ma. Pois antes de tudo, é pre­ci­so apren­der a sepa­rar uma boa ideia de uma boa, mas fal­sa ideia. Esta for­ma­ção pre­ten­de não só tes­tar as idei­as, per­ce­ber o seu poten­ci­al e a sua via­bi­li­da­de, ao mes­mo tem­po que atra­vés das téc­ni­cas à dis­po­si­ção, ten­tar mate­ri­a­li­zá-las. Ao mes­mo tem­po, uti­li­zan­do essas fer­ra­men­tas, cri­ar e fomen­tar a cri­a­ção que ape­sar de escri­ta pode ser livre, plu­ral e abor­da­da de mui­tas e vari­a­das manei­ras. A arte do argu­men­to tam­bém é pes­so­al e intrans­mis­sí­vel.

Assim, o módu­lo de “Argu­men­to 1” tem como obje­ti­vo apro­fun­dar os sabe­res teó­ri­cos e prá­ti­cos que per­mi­tam ao alu­no con­ce­ber a estru­tu­ra nar­ra­ti­va de um pro­je­to audi­o­vi­su­al, segun­do vári­os géne­ros e for­ma­tos, e ten­do em con­ta as diver­sas pla­ta­for­mas de dis­tri­bui­ção atu­al­men­te dis­po­ní­veis.

Sai­ba mais na seguin­te liga­ção: Módu­lo “Argu­men­to 1” dá iní­cio aos módu­los nucle­a­res da 9ª edi­ção de Cine­ma­lo­gia.