“Serpentário” de Carlos Conceição no Fórum do Festival de Berlim

A pri­mei­ra lon­ga-metra­gem do rea­li­za­dor por­tu­guês terá estreia mun­di­al numa das sec­ções para­le­las do cer­ta­me ale­mão.

Cinema Portugus

A primeira longa-metragem do realizador portugus ter estreia mundial numa das seces paralelas do certame alemo.

Arti­go reco­men­da­do:
Cine­ma Por­tu­gus

A Por­tu­gue­sa” de Rita Aze­ve­do Gomes no Fes­ti­val de Cine­ma de Ber­lim A lon­ga-metra­gem da rea­li­za­do­ra por­tu­gue­sa far par­te da seco Ber­li­na­le Forum do fes­ti­val que decor­re de 7 a 17 de feve­rei­ro.

O filme “Serpentário”, primeira longa-metragem de Carlos Conceição, vai ter estreia mundial na secção Fórum do festival de Berlim que terá lugar de 7 a 17 de fevereiro na capital alemã. Este é também o primeiro filme da recém-formada produtora Mirabilis, de António Gonçalves e Carlos Conceição.

“Ser­pen­tá­rio” segue um rapaz que vagueia por uma pai­sa­gem afri­ca­na pós-catás­tro­fe em bus­ca do fan­tas­ma da sua mãe. Nas pala­vras dos pro­du­to­res, tra­ta-se de um fil­me emo­ci­o­nal e mui­to pes­so­al sobre a memó­ria, que osci­la entre a auto­bi­o­gra­fia — o rea­li­za­dor nas­ceu e viveu em Áfri­ca até aos 21 anos — e epi­só­di­os da pró­pria his­tó­ria do con­ti­nen­te.

Car­los Con­cei­ção reve­la, a pro­pó­si­to da sua obra: “Quan­do vol­tei para fil­mar o ‘Ser­pen­tá­rio’, as memó­ri­as tinham-se tor­na­do fil­mes na minha cabe­ça. A guer­ra tinha sido um rito de pas­sa­gem entre a liga­ção per­di­da com a His­tó­ria e a rein­ven­ção das suas tex­tu­ras e cores. O pas­sa­do tor­nou-se uma aven­tu­ra, um wes­tern, um fil­me-catás­tro­fe, con­for­me obser­va­va o meu eu mais jovem a acer­tar con­tas com uma ter­ra que o traiu de vol­ta.”

A sec­ção Fórum da Ber­li­na­le defen­de uma refle­xão sobre o cine­ma, sobre o dis­cur­so socio-artís­ti­co, com uma pro­gra­ma­ção que tem como obje­ti­vo expan­dir as defi­ni­ções do cine­ma, tes­tar limi­tes e abrir novas pers­pec­ti­vas.

por
publi­ca­do 17:46 — 18 janei­ro ’19

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema Portugus

Fon­te.