Ciclo “Novo Cinema Argentino” no Teatrão

Ciclo “Novo Cinema Argentino” no Teatrão

O Tea­trão pro­mo­ve um ciclo de cine­ma Argen­ti­no, numa pro­gra­ma­ção para­le­la ao espec­tá­cu­lo “Ala de Cri­a­dos”. As ses­sões decor­rem às ter­ças-fei­ras pelas 19h00, com entra­da gra­tui­ta, na Taba­ca­ria – Ofi­ci­na Muni­ci­pal do Tea­tro.

El Secre­to de sus Ojos
2009 | drama/mistério/romance | 2h9m
Juan José Cam­pa­nel­la

Um cri­me ocor­ri­do há 25 anos ficou inde­le­vel­men­te mar­ca­do na vida e na men­te de Ben­ja­min Espo­si­to. Hoje, refor­ma­do do depar­ta­men­to da polí­cia e sem saber mui­to bem o que fazer aos seus dias vazi­os, ele é um homem can­sa­do. Para pre­en­cher a sua vida com algo mais que soli­dão, Espo­si­to deci­de escre­ver um roman­ce a rela­tar os even­tos que o liga­ram a esse cri­me e como tudo o que ocor­reu pos­te­ri­or­men­te foi alte­ra­do por esse trá­gi­co acon­te­ci­men­to. Ago­ra, ao relem­brar as cir­cuns­tân­ci­as do que acon­te­ceu, ava­li­an­do todos os fac­to­res, todas as cau­sas e todas as con­sequên­ci­as, vai des­co­brir uma manei­ra de rees­cre­ver o pas­sa­do e, quem sabe, o pró­prio futu­ro. Fil­me ven­ce­dor do Óscar de melhor fil­me estran­gei­ro 2010.

Públi­co

O Homem ao Lado
2009 | thril­ler | 1h5m
Gas­tón Duprat e Mari­a­no Cohn

O fil­me nar­ra um con­fli­to entre vizi­nhos que pare­ce não ter fim. Uma sim­ples pare­de divi­só­ria pode divi­dir dois mun­dos, duas manei­ras de se ves­tir, comer, viver. De um lado, Leo­nar­do, um desig­ner de pres­tí­gio que mora numa casa fei­ta por Le Cor­bu­si­er. Do outro lado Vic­tor, ven­de­dor de car­ros usa­dos, vul­gar, rús­ti­co e avas­sa­la­dor. Vic­tor deci­de fazer uma jane­la para ter mais luz, e é aí que o pro­ble­ma come­ça: cada um se tor­na cons­ci­en­te da exis­tên­cia do outro. O olhar do estra­nho cor­rói e ques­ti­o­na uma vida apa­ren­te­men­te nor­mal, e abre a por­ta para medos, misé­ri­as e ati­tu­des mais vis.

El Mun­do

O Cida­dão Ilus­tre
2016 | comédia/drama/thriller | 2h
Gas­tón Duprat e Mari­a­no Cohn

O escri­tor argen­ti­no Dani­el Mon­ta­va­ni, ven­ce­dor do Nobel de Lite­ra­tu­ra, vive na Euro­pa há 30 anos. Quan­do pre­si­den­te de câma­ra de Sala, a sua cida­de natal, deci­de home­na­geá-lo com uma Meda­lha de Cida­dão Ilus­tre, ele vê uma hipó­te­se de vol­tar à região que não visi­ta des­de a juven­tu­de e que ain­da assim ser­ve de cená­rio para seus roman­ces. Ao che­gar, con­fir­ma as afi­ni­da­des que ain­da o ligam a Salas, assim como as dife­ren­ças que rapi­da­men­te o trans­for­mam num ele­men­to estra­nho e per­tur­ba­dor na roti­na da cida­de. Uma comé­dia de humor negro que ganhou o pré­mio de melhor ator em Vene­za 2016.

Fes­ti­val do Rio

Rela­tos Sel­va­gens
2014 | comédia/drama/thriller | 2h2m
Damián Szi­fron

A desi­gual­da­de, a injus­ti­ça e as deman­das do mun­do em que vive­mos fazem com que mui­tas pes­so­as fiquem stres­sa­das ou depri­mi­das. Alguns explo­dem. Este é um fil­me sobre eles. Vul­ne­rá­veis a uma rea­li­da­de que repen­ti­na­men­te se alte­ra e se tor­na impre­vi­sí­vel, os pro­ta­go­nis­tas do fil­me cru­zam a estrei­ta fron­tei­ra que divi­de a civi­li­za­ção da bar­bá­rie. Uma trai­ção amo­ro­sa, o regres­so de um pas­sa­do repri­mi­do, ou a vio­lên­cia con­ti­da num deta­lhe diá­rio, são apre­sen­ta­dos para levá-los à ver­ti­gem de per­der a paci­ên­cia, o pra­zer ine­gá­vel de per­der o con­tro­le.

El Mun­do

SOBRE O ESPETÁCULO Ala de Cri­a­dos
Este tex­to, do dra­ma­tur­go argen­ti­no Mau­ri­cio Kar­tun, baseia-se num fac­to real, ocor­ri­do em janei­ro de 1919, quan­do a cida­de de Bue­nos Aires foi agi­ta­da por uma gre­ve geral e pela ter­rí­vel repres­são que se seguiu. Conhe­ci­do na Argen­ti­na como “Sema­na Trá­gi­ca”, este con­fli­to, que opôs as clas­ses tra­ba­lha­do­ras à clas­se polí­ti­ca e ao meio empre­sa­ri­al, ser­ve como pano de fun­do de todo o enredo.Repleta de ambi­gui­da­des, a his­tó­ria inter­ca­la o mun­do de três pri­mos aris­to­cra­tas ao do empre­ga­do e comer­ci­an­te emer­gen­te Pedro. Há no encon­tro des­tas per­so­na­gens a cons­tru­ção de metá­fo­ras que des­lo­cam os seus diá­lo­gos para temas que podem dis­cu­tir a situ­a­ção polí­ti­ca, o esta­do soci­al e de cos­tu­mes na Amé­ri­ca Lati­na e a sua rela­ção com a colo­ni­za­ção euro­peia. O tex­to de Kar­tun mis­tu­ra o dra­ma com tre­chos nar­ra­ti­vos, dese­nha per­so­na­gens que se afas­tam da obje­ti­vi­da­de espe­ra­da de um nar­ra­dor fren­te à his­tó­ria con­ta­da para expri­mir uma rea­ção crí­ti­ca, um comen­tá­rio. Como nas fábu­las bre­ch­ti­a­nas, a peça con­tém o recor­te de uma situ­a­ção quo­ti­di­a­na que aca­ba por dese­nhar o retra­to da Amé­ri­ca Lati­na e da sua rela­ção com a Euro­pa.


FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA • Autor • Mau­rí­cio Kar­tu­nEn­ce­na­ção • Mar­co Anto­nio Rodri­gue­sIn­ter­pre­ta­ção • Isa­bel Cra­vei­ro, João San­tos, Rui Rapo­so, Tel­mo Fer­rei­ra­De­se­nho de Luz • Jonathan de Aze­ve­do­Ce­no­gra­fia e Figu­ri­nos • O Tea­trão­As­sis­tên­cia de Ceno­gra­fia e Figu­ri­nos • Ana Bár­ba­ra Quei­rós­So­no­plas­tia • Pedro Fon­se­ca­A­poio ao movi­men­to • Ana Figuei­re­do e Ana Sei­ça­De­sign grá­fi­co • Paul Hard­man­Fo­to­gra­fia • Car­los Gomes­Ca­be­lei­rei­ro • Car­los Gago (Ilí­dio Design)Construção de Cená­rio • Colec­ti­vo Mon­te – Resi­dên­cia Cir­co­lan­do­Cos­tu­rei­ra • Fer­nan­da Tomás­Di­re­ção de pro­du­ção • Isa­bel Cra­vei­ro­Pro­du­ção • Cátia Oli­vei­ra­Di­re­ção téc­ni­ca • Jonathan Aze­ve­do­Co­mu­ni­ca­ção • Mar­ga­ri­da Sou­sa e Raquel Vinhas