Todos os artigos de cec

O CEC - Centro de Estudos Cinematográficos - promove a “Sétima Arte” organizando ciclos, programando palestras ou editando cadernos, e divulga autores e filmografias que, apesar da sua qualidade, são marginais à política das distribuidoras nacionais. Além de Cineclube Universitário tem também uma vertente de formação na área dos audiovisuais, bem como uma vertente técnica que lhe permite fazer a cobertura em vídeo dos eventos mais importantes da Associação e da vida universitária em geral. Promove ainda a produção e realização de curtas e medias metragens no formato vídeo.

Cerimónia de Abertura da 23.ª edição

Esta ses­são de índo­le pro­to­co­lar mar­ca o iní­cio for­mal des­ta XXIII edi­ção. Nela são rece­bi­das todas as enti­da­des envol­vi­das no Fes­ti­val e são nome­a­das em ges­to de agra­de­ci­mento. É tam­bém fei­ta uma peque­na apre­sen­ta­ção da pro­gra­ma­ção geral do Fes­ti­val e do gru­po de jura­dos das mais diver­sas cate­go­rias. Tam­bém mar­ca a estreia em gran­de écran da cur­ta metra­gem – A Cos­tu­rei­ri­nha – pro­du­zida no âmbi­to do 6.º cur­so de cine­ma­lo­gia pro­mo­vi­dos pela orga­ni­za­ção. Duran­te a pro­du­ção des­ta cur­ta-metra­gem os for­man­dos tive­ram a con­sul­ta­do­ria espe­ci­a­li­za­da de mes­tres do cine­ma por­tu­guês como Tel­mo Mar­tins, João Braz, Jor­ge Peli­ca­no ou Fer­nan­do Ven­drell.
Há ain­da espa­ço para a músi­ca com a actu­a­ção do Gru­po de Cor­das da Sec­ção de Fado da Asso­ci­a­ção Aca­dé­mi­ca de Coim­bra.

+ em: Ceri­mó­nia de Aber­tu­ra da 23.ª edi­ção

Iniciam-se os Caminhos do Cinema Português…

Ini­cia-se hoje a 23ª edi­ção do Fes­ti­val Cami­nhos do Cine­ma Português.Com a cida­de de Coim­bra como anfi­triã, a Sele­ção Cami­nhos, uma das ver­ten­tes com­pe­ti­ti­vas do fes­ti­val, anun­cia sete dias de cine­ma por­tu­guês na zona cen­tro, com des­ta­que para os fil­mes “Quem é Bár­ba­ra Vir­gí­nia?” e “O Homem de Trás-os-Mon­tes”.
130 é o núme­ro de fil­mes que nos pró­xi­mos sete dias esta­rão em exi­bi­ção no Fes­ti­val Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês, com­pre­en­den­do um total de 60 horas de cine­ma.

A pri­mei­ra ses­são, que inau­gu­ra a pre­sen­te edi­ção dos Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês, tem iní­cio às 15 horas, no Tea­tro Aca­dé­mi­co de Gil Vicen­te (TAGV), com a exi­bi­ção de “A Toca­do­ra”, uma ani­ma­ção de Joa­na Ima­gi­ná­rio. Seguem-se os docu­men­tá­ri­os “Antó­nio e Cata­ri­na” de Cris­ti­na Hanes, ven­ce­dor do Pré­mio Par­di­no d’Oro do Fes­ti­val de Cine­ma de Locar­no, e “Quem é Bár­ba­ra Vir­gí­nia?” de Luí­sa Sequei­ra, sobre a pri­mei­ra mulher a rea­li­zar um fil­me em Por­tu­gal.

Pelas 17h30 tem lugar a segun­da Ses­são Juve­nis. Com rea­li­za­ção de Leo­nor Are­al, o docu­men­tá­rio “Nas­ci com a Tro­vo­a­da — Auto­bi­o­gra­fia pós­tu­ma de um cine­as­ta” ser­ve de home­na­gem a Manu­el Gui­ma­rães, o úni­co rea­li­za­dor neo-rea­lis­ta do cine­ma naci­o­nal.

A ceri­mó­nia de aber­tu­ra do fes­ti­val, com apre­sen­ta­ção a car­go de Luís Rodri­gues e San­dra José, tem horá­rio mar­ca­do para as 21h45, no TAGV, com a apre­sen­ta­ção das prin­ci­pais acti­vi­da­des do fes­ti­val pelo seu Dire­tor Vítor Fer­rei­ra, seguin­do-se o visi­o­na­men­to de “A Cos­tu­rei­ri­nha”, pro­du­ção da sex­ta edi­ção do cur­so de cine­ma — ‘Cine­ma­lo­gia’.

+ em: Ini­ci­am-se os Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês…

Júri Internacional FICC/IFFS

O Pré­mio D. Qui­jo­te é um pré­mio da FICC — Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes, atri­buí­do em fes­ti­vais de cine­ma sele­ci­o­na­dos pela Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes. O Júri FICC/IFFS é com­pos­to por ciné­fi­los de qual­quer país do mun­do, apu­ra­dos entre as can­di­da­tu­ras das vári­as Fede­ra­ções Naci­o­nais de Cine­clu­bes.
O por­tu­guês Car­los Coe­lho, o noru­e­guês Odd Vaa­gland e o afe­gão Abdul Malek Ghu­lam Hus­sin são os nome­a­dos Júri FICC da 23ª edi­ção dos Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês.

A Sele­ção Cami­nhos, além dos pré­mi­os atri­buí­dos pelo Júri da Sele­ção Cami­nhos, é tam­bém ava­li­a­da pelo Júri do Pré­mio de Impren­sa CISION, bem como pelo Públi­co e pelo Júri FICC. Para o Pré­mio D. Qui­jo­te estão ele­gí­veis os fil­mes pre­sen­tes em com­pe­ti­ção na Sele­ção Cami­nhos, que este­jam legen­da­dos em fran­cês ou inglês, ou ausen­tes de diá­lo­gos.

+ em: Júri Inter­na­ci­o­nal FICC/IFFS

Informações Gerais

Os Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês, na sua 23.ª edi­ção, decor­re­rão de 27 de novem­bro a 3 de dezem­bro. A orga­ni­za­ção com­pi­lou toda a infor­ma­ção para que sai­ba onde e como pode cami­nhar por estes encon­tros cine­ma­to­grá­fi­cos. Quais­quer escla­re­ci­men­tos adi­ci­o­nais pode­rão ser soli­ci­ta­dos pelo email geral@caminhos.info ou pelo tele­fo­ne 239 851 069.

+ em: Infor­ma­ções Gerais

Crónica do festival – I

O Fes­ti­val “Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês”, cuja 23ª edi­ção terá lugar entre os dias 27 de novem­bro e 3 de dezem­bro de 2017, con­ti­nua a ser — para além de um dos raros exem­plos que con­se­guiu tal lon­ge­vi­da­de ape­sar da (apa­ren­te) des­van­ta­gem de não se rea­li­zar na Gran­de Lis­boa ou no Gran­de Por­to — o úni­co fes­ti­val de cine­ma em Por­tu­gal dedi­ca­do uni­ca­men­te ao cine­ma por­tu­guês. Nun­ca é demais cha­mar a aten­ção para esta sua mani­fes­ta “ima­gem de mar­ca” ao lon­go des­tes 23 anos, que for­mam um tra­je­to em que a von­ta­de de exi­bir, divul­gar e pre­mi­ar o nos­so cine­ma per­mi­tiu acom­pa­nhar a evo­lu­ção tan­to da obra dos seus nomes mais con­sa­gra­dos quan­to de cri­a­do­res que estão no iní­cio do seu per­cur­so.

+ em: Cró­ni­ca do fes­ti­val – I