Arquivo da Categoria: Cinemalogia

Cinema Conimbricense volta a dar cartas

Após a sua exi­bi­ção na 6ª edi­ção do Fes­ti­val “Pri­ma­ve­ra do Cine” no pas­sa­do mês de maio em Vigo, a cur­ta-metra­gem “Banho de Para­gem” foi sele­ci­o­na­da para a 9ª edi­ção do “Inter­na­ti­o­nal Inter Uni­ver­sity Short Film Fes­ti­val” em Bangladesh.
O Fes­ti­val orga­ni­za­do pela “Dha­ka Uni­ver­sity Film Soci­ety” que teve iní­cio no pre­sen­te mês decor­re até dia 13 de setem­bro, data em que serão entre­gues os pré­mi­os para melhor cur­ta e melhor Realizador.

A cur­ta, rea­li­za­da no âmbi­to da 5ª edi­ção do cur­so de Cine­ma “Cine­ma­lo­gia” e da 18ª Sema­na Cul­tu­ral da Uni­ver­si­da­de de Coim­bra, é uma das 200 obras sele­ci­o­na­das para o fes­ti­val sen­do que, segun­do dados for­ne­ci­dos pela orga­ni­za­ção, foram sub­me­ti­dos no total 1700 fil­mes ori­gi­ná­ri­os de 96 paí­ses diferentes.

+ em: Cine­ma Conim­bri­cen­se vol­ta a dar cartas

Nunca é Tarde’ seleccionado na 7.ª edição do FARCUME

O per­cur­so de ‘Nun­ca é Tar­de’ pelos fes­ti­vais de cine­ma con­ti­nua. Depois de Avan­ca, Figuei­ra da Foz, Fama­li­cão, Coim­bra e Lei­ra, pas­san­do pri­mei­ro por Mul­va­ne no esta­do do Kan­sas, eis que o fil­me che­ga a Faro. A cur­ta-metra­gem pro­du­zi­da no âmbi­to da 4.ª do Cur­so de Cine­ma Cine­ma­lo­gia ‘da ideia ao fil­me’ pro­mo­vi­do pelo Fes­ti­val Cami­nhos Cine­ma Por­tu­guês, foi selec­ci­o­na­da pelo FARCUME — Fes­ti­val Inter­na­ci­o­nal de Cur­tas-Metra­gens de Faro -con­jun­ta­men­te com outros 58 tra­ba­lhos pro­ve­ni­en­te de 17 paí­ses, na cate­go­ria de Fic­ção. A séti­ma edi­ção des­te fes­ti­val rea­li­zar-se-á de 21 a 26 de de Agosto.

+ em: ‘Nun­ca é Tar­de’ selec­ci­o­na­do na 7.ª edi­ção do FARCUME

Como acontece a rodagem de uma curta?

Che­ga­dos a Mar­ço, os for­man­dos do cur­so de cine­ma “cine­ma­lo­gia” vêem che­gar a hora da ver­da­de e têm de colo­car em prá­ti­ca os seus conhe­ci­men­tos. É a eta­pa ful­cral onde a pré-pro­du­ção se encon­tra com a pro­du­ção efec­ti­va da obra fíl­mi­ca, sen­do neces­sá­rio res­pon­der a todas as neces­si­da­des esté­ti­cas e artís­ti­cas, sem menos­pre­zar as con­di­ções téc­ni­cas e logís­ti­cas, pos­sí­veis de atin­gir num de âmbi­to for­ma­ti­vo, aten­den­do à espe­ci­fi­ci­da­de do guião desen­vol­vi­do pelos alunos.

Quer participar no casting de “A Costureirinha”?

A sex­ta edi­ção do cur­so de cine­ma “cine­ma­lo­gia”, pro­mo­vi­da pelos Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês em con­jun­to com a Uni­ver­si­da­de Aber­ta, pro­cu­ram actri­zes para inte­grar a pro­du­ção de “A Cos­tu­rei­ri­nha”. Este é um fil­me pro­du­zi­do em âmbi­to de apren­di­za­gem e no âmbi­to da 19ª Sema­na Cul­tu­ral da Uni­ver­si­da­de de Coimbra.
A his­tó­ria des­ta cur­ta-metra­gem tem como per­so­na­gens cen­trais duas mulhe­res adul­tas aci­ma dos 35 anos anos de ida­de e uma meni­na com ida­de com­pre­en­di­da entre os 6 e os 12 anos de ida­de. As ins­cri­ções para o cas­ting a rea­li­zar-se duran­te o nos­so módu­lo de Direc­ção de Ato­res e estão aber­tas até ao dia 3 de março. 

+ em: Quer par­ti­ci­par no cas­ting de “A Costureirinha”?

Pintando as personagens além do guião

Apro­xi­ma­mos-nos cada vez mais da der­ra­dei­ra eta­pa de mate­ri­a­li­za­ção do argu­men­to de “A Cos­tu­rei­ri­nha” num fil­me. Antes de entrar­mos em roda­gem des­ta cur­ta metra­gem, pro­du­zi­da no âmbi­to da XIX Sema­na Cul­tu­ral da Uni­ver­si­da­de de Coim­bra, ain­da há um lar­go cam­po de tra­ba­lho por defi­nir. A 25 de feve­rei­ro rece­be­mos a visi­ta de Hele­na Batis­ta, sócia-geren­te da Sin­co­lour — Carac­te­ri­za­ção e Maqui­lha­gem, Lda. Hele­na ini­ci­ou a sua car­rei­ra na carac­te­ri­za­ção e maqui­lha­gem na área cine­ma­to­grá­fi­ca e audi­o­vi­su­al em 1989, ten­do sido co-pre­mi­a­da em 2014 nos Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês pelo seu tra­ba­lho em “Frá­gil Som do Meu Motor”. Ao lon­go da sua car­rei­ra cola­bo­rou com rea­li­za­do­res como Mano­el de Oli­vei­ra, Tere­sa Vil­la­ver­de, Vale­ria Sar­mi­en­to, Cha­no Piñe­ro ou Jeró­ni­mo Rocha.

+ em: Pin­tan­do as per­so­na­gens além do guião