Selecção Ensaios · Filmes Seleccionados

Ver, apre­ci­ar e esco­lher fil­mes é um tra­ba­lho árduo de crí­ti­ca. Porquê esco­lher um fil­me e não outro? Por entre cer­ca de mil ins­cri­ções temos de tomar posi­ções, deci­dir. O tra­ba­lho de selec­ção situa-se nes­se pro­ces­so de con­si­de­ra­ção e valo­ri­za­ção para que assim, che­gue ao públi­co o cine­ma mais diver­so que se faz entre as esco­las de cine­ma.

Ver, apre­ci­ar e esco­lher fil­mes é um tra­ba­lho árduo de crí­ti­ca. Porquê esco­lher um fil­me e não outro? Por entre cer­ca de mil ins­cri­ções temos de tomar posi­ções, deci­dir. O tra­ba­lho de selec­ção situa-se nes­se pro­ces­so de con­si­de­ra­ção e valo­ri­za­ção para que assim, che­gue ao públi­co o cine­ma mais diver­so que se faz entre as esco­las de cine­ma.

Na Selec­ção Ensai­os do fes­ti­val Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês, ten­ta­mos mos­trar o que se faz no país e não só. Este

Ver, apre­ci­ar e esco­lher fil­mes é um tra­ba­lho árduo de crí­ti­ca. Porquê esco­lher um fil­me e não outro? Por entre cer­ca de mil ins­cri­ções temos de tomar posi­ções, deci­dir. O tra­ba­lho de selec­ção situa-se nes­se pro­ces­so de con­si­de­ra­ção e valo­ri­za­ção para que assim, che­gue ao públi­co o cine­ma mais diver­so que se faz entre as esco­las de cine­ma.