João Pinhão ensina Direção de Actores e o processo de Casting

João Pinhão

A direc­ção de acto­res assen­ta na defi­ni­ção da colo­ca­ção e do movi­men­to dos ato­res no espa­ço em fun­ção da ilu­mi­na­ção, dos “deco­res” e do enqua­dra­men­to do pla­no e dos movi­men­tos de câma­ra, cons­ti­tu­em, para além da repre­sen­ta­ção pro­pri­a­men­te dita. A 4 e 5 de mar­ço o cur­so de cine­macine­ma­lo­gia” rece­be a visi­ta de João Pinhão, expe­ri­en­te assis­ten­te de Rea­li­za­ção em Cine­ma e Publi­ci­da­de, que tra­ba­lhou em alguns dos fil­mes por­tu­gue­ses mais rele­van­tes dos últi­mos anos de rea­li­za­do­res como João César Mon­tei­ro, Mano­el de Oli­vei­ra, Raoul Ruiz, João Bote­lho, Fer­nan­do Lopes, João Cani­jo, Lau­ren­ce Fer­rei­ra Bar­bo­sa, Vale­ria Sar­mi­en­to, Mar­co Mar­tins ou Ivo M. Fer­rei­ra. Ao lon­go do tem­po, ele foi alar­gan­do o seu raio de ação, fazen­do tam­bém Dire­ção de Cas­ting em alguns dos seu tra­ba­lhos.

O tra­ba­lho de Dire­ção de Ato­res pas­sa pela explo­ra­ção da colo­ca­ção e do movi­men­to dos ato­res con­si­de­ran­do o con­jun­to com aque­les res­tan­tes ele­men­tos da “mise-en-scè­ne”, a repre­sen­ta­ção de idei­as e sen­ti­men­tos, os enqua­dra­men­tos e os movi­men­tos de câma­ra, para fins artís­ti­cos. Para um rea­li­za­dor, saber tra­ba­lhar com ato­res resul­ta do equi­lí­brio de todas as deci­sões que ele mes­mo toma, a par­tir do momen­to em que tem o argu­men­to do seu fil­me sob seu intei­ro domí­nio, isto é, a par­tir do momen­to em que sabe o que pre­ten­de com o fil­me que vai fazer e o que pre­ten­dem as suas per­so­na­gens com as suas vidas. Mais do que mol­dar um actor ou uma actriz, será impor­tan­te para o rea­li­za­dor, sobre­tu­do, saber esco­lher, saber deci­dir e saber diri­gir.

Esta for­ma­ção terá como seus objec­ti­vos per­ce­ber e esco­lher quais os melho­res acto­res para deter­mi­na­dos per­so­na­gens e inter­pre­ta­ções no fil­me atra­vés de vári­as téc­ni­cas. Para isso rea­li­za­mos um cas­ting aber­to a toda a comu­ni­da­de com o objec­ti­vo pri­mor­di­al de defi­nir os intér­pre­tes da his­tó­ria de “A Cos­tu­rei­ri­nha”. Cada for­man­do irá rea­li­zar uma aná­li­se do guião, per­so­na­gens e acto­res e em con­jun­to com o for­ma­dor ava­li­an­do e defi­nir os acto­res para cada per­so­na­gem do fil­me de acor­do com as suas carac­te­rís­ti­cas psi­co­ló­gi­cas e físi­cas. Um desa­fio peda­gó­gi­co, lan­ça­do aos for­man­dos e aos can­di­da­tos a intér­pre­tes da his­tó­ria, que vai ao encon­tro do mote da 19ª Sema­na Cul­tu­ral da Uni­ver­si­da­de de Coim­bra; “quem somos?”. Con­se­gui­rão eles cons­truir a res­pos­ta a esta ques­tão den­tro do mun­do de Maria e Erme­lin­da?

As ins­cri­ções para a for­ma­ção ain­da estão dis­po­ní­veis em www.caminhos.info/cinemalogia-inscricao

+ em: João Pinhão ensi­na Dire­ção de Acto­res e o pro­ces­so de Cas­ting