Júri da 24.ª edição junta Experiência e Irreverência para julgar os prémios do Cinema Português

As equi­pas de Júri da 24.ª edi­ção estão ofi­ci­al­men­te cons­ti­tuí­das. Além do públi­co, qua­tro equi­pas de júri com per­so­na­li­da­des de rele­vo da cul­tu­ra, do cine­ma e da soci­e­da­de em geral, terão a res­pon­sa­bi­li­da­de de ava­li­ar e pre­mi­ar as 121 obras em con­cur­so, para um total de 26 pré­mi­os, des­ta­can­do-se os pré­mi­os, ofi­ci­ais e os téc­ni­co artís­ti­cos, da Sele­ção Cami­nhos onde se defi­nem os prin­ci­pais ven­ce­do­res de cada edi­ção do fes­ti­val. Há ain­da espa­ço para a pre­mi­a­ção inter­na­ci­o­nal com os Pré­mi­os D. Qui­jo­te da Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes e na Sele­ção Ensai­os.

O Júri da Sele­ção Cami­nhos tem a seu ônus 15 pré­mi­os téc­ni­co-artís­ti­cos e 6 pré­mi­os ofi­ci­ais, defi­nin­do-se quem serão os prin­ci­pais pro­ta­go­nis­tas des­te ano de Cine­ma Por­tu­guês. Pela diver­si­da­de de sabe­res con­ju­ga­dos para dis­tin­guir cate­go­ri­as tão dis­tin­tas quan­to são a dire­ção de foto­gra­fia, a dire­ção de arte, os figu­ri­nos ou a comu­ni­ca­ção, cons­ti­tui-se uma equi­pa capaz de ter um olhar inte­ri­or e exte­ri­or do que é o cine­ma. Assim, esta equi­pa é cons­ti­tuí­da pelas atri­zes Joa­na Pais de Bri­to, Isa­bel Ruth, pelos ato­res João Cabral e Mar­can­tó­nio del Car­lo, pelos rea­li­za­do­res Cata­ri­na Alves Cos­ta, Mar­co Mar­tins e João Rui Guer­ra da Mata, este últi­mo tam­bém Dire­tor de Arte, pelo músi­co José Cid e pelo colo­ris­ta Nuno Gar­cia.

Ava­li­an­do o futu­ro do cine­ma e da sua lin­gua­gem está o Júri da Sele­ção Ensai­os. As pro­du­ções, rea­li­za­das em con­tex­to aca­dé­mi­co, pre­sen­tes nes­ta sele­ção já pro­va­ram o seu valor em alguns dos prin­ci­pais fes­ti­vais de cine­ma do mun­do, ten­do ago­ra a opor­tu­ni­da­de de jun­tas con­cor­re­rem aos pré­mi­os de Melhor Ensaio Naci­o­nal e Melhor Ensaio Inter­na­ci­o­nal da Sele­ção Ensai­os. São 60 os ensai­os em com­pe­ti­ção, oriun­dos de 25 paí­ses, con­gre­gan­do em 14 horas de pro­gra­ma­ção pon­tes cul­tu­rais e for­mas de ver e sen­tir o mun­do. O mon­ta­dor Tomás Bal­ta­zar, o rea­li­za­dor Luís Isma­el, o ator Dio­go Ama­ral, a atriz Bene­di­ta Perei­ra e o you­tu­ber Ricar­do Este­ves, irão con­ju­gar a sua pers­pe­ti­va e expe­ri­ên­cia para deci­dir quem são os ven­ce­do­res des­ta sele­ção.

O pré­mio D. Qui­jo­te, atri­buí­do pelo Júri FICC, repre­sen­ta a filo­so­fia do movi­men­to cine­clu­bis­ta, como base o Pla­no de Tabor, dos Direi­tos do Públi­co e da uto­pia Qui­jo­te. Inte­gram nes­te júri o rea­li­za­dor por­tu­guês Tia­go Cer­vei­ra, o rea­li­za­dor e fotó­gra­fo pola­co Kon­rad Domas­zews­ki e a pro­gra­ma­do­ra bri­tâ­ni­ca Sukay­na Naj­mu­din.

O Pré­mio de Impren­sa CISION visa pre­mi­ar o rigor e a ousa­dia esté­ti­ca, tan­to no pla­no nar­ra­ti­vo, como a nível da ima­gem cine­ma­to­grá­fi­ca. Pre­ten­de-se, assim, valo­ri­zar a pro­du­ção naci­o­nal numa pers­pe­ti­va artís­ti­ca, bem como da comu­ni­ca­ção com o públi­co. Inte­gram o Júri de Impren­sa o dis­tri­bui­dor Nuno Gon­çal­ves, e os jor­na­lis­tas Fáti­ma Lacer­da e Vas­co Câma­ra.

O der­ra­dei­ro júri é o públi­co que irá deci­dir quem ganha­rá o Pré­mio do Públi­co Cha­ma Ama­re­la. A sua deli­be­ra­ção será rea­li­za­da após o tér­mi­no do con­jun­to de ses­sões com­pe­ti­ti­vas da Sele­ção Cami­nhos, pelo cál­cu­lo da média arit­mé­ti­ca pon­de­ra­da das vota­ções expres­sas nos bole­tins de voto. Par­ti­ci­pe nes­ta deci­são e via­je pelos Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês de 23 de novem­bro a 1 de dezem­bro.

Toda a infor­ma­ção bio­grá­fi­ca sobre as equi­pas de júri, bem como da pro­gra­ma­ção está dis­po­ní­vel em www.caminhos.info

Sai­ba mais na seguin­te liga­ção: Júri da 24.ª edi­ção jun­ta Expe­ri­ên­cia e Irre­ve­rên­cia para jul­gar os pré­mi­os do Cine­ma Por­tu­guês.