Centro de Estudos Cinematográficos

DOCLISBOA 2018

O Doclisboa?18 dedi­ca a sua retros­pe­ti­va de autor ao cine­as­ta colom­bi­a­no Luis Ospi­na, cuja “visão aten­ta e bem-humo­ra­da do seu país, a sua for­te pai­xão pelo cine­ma e o seu empe­nho na pre­ser­va­ção do pas­sa­do fazem dele uma das figu­ras mais impor­tan­tes da his­tó­ria recen­te do cine­ma da Amé­ri­ca Lati­na?, refe­re a orga­ni­za­ção do fes­ti­val.


O Doclisboa’18 dedi­ca a sua retros­pe­ti­va de autor ao cine­as­ta colom­bi­a­no Luis Ospi­na, cuja “visão aten­ta e bem-humo­ra­da do seu país, a sua for­te pai­xão pelo cine­ma e o seu empe­nho na pre­ser­va­ção do pas­sa­do fazem dele uma das figu­ras mais impor­tan­tes da his­tó­ria recen­te do cine­ma da Amé­ri­ca Lati­na”, refe­re a orga­ni­za­ção do fes­ti­val.

Em FOCO esta­rá a temá­ti­ca “Nave­gar o Eufra­tes, Via­jar no Tem­po do Mun­do”, sec­ção que, como refe­re a orga­ni­za­ção do Doclis­boa, “come­ça na Armé­nia e com o pri­mei­ro fil­me armé­nio, Namus, rea­li­za­do por Hamo Bek­na­zaryan, em Junho de 1926.”

A pre­sen­ça por­tu­gue­sa no Doclis­boa‘ 18 é com­pos­ta por um total de 59 fil­mes, dos quais se des­ta­cam os 18 sele­ci­o­na­dos para a Com­pe­ti­ção Por­tu­gue­sa:

- ALIS UBBO, de Pau­lo Abreu (Por­tu­gal);

- AVENIDA ALMIRANTE REIS EM 3 ANDAMENTOS, de Rena­ta San­cho (Por­tu­gal);

- CASA ENCANTADA, de Júlio Alves (Por­tu­gal),

- CIDADE MARCONI, de Ricar­do Morei­ra (Por­tu­gal);

- EXTINCÃO, de Salo­mé Lamas (Por­tu­gal, Ale­ma­nha),

- HISTÓRIA SECRETA DA AVIAÇÃO, de João Man­so (Por­tu­gal);

- IN THE CLOUDS, de Ida Marie Gedb­jerg Soren­sen (Bél­gi­ca, Hun­gria, Por­tu­gal);

- MOOD KEEP, de Ali­ce dos Reis (Holan­da, Por­tu­gal);

- PELE DE LUZ, André Gui­o­mar (Moçam­bi­que, Por­tu­gal);

- RITUALS OF THOUGHT, de Ray­na Tene­va, (Bul­gá­ria, Ale­ma­nha, Por­tu­gal);

- IL SOGNO MIO D’AMORE, de Natha­lie Man­soux e Miguel Mora­es Cabral (Por­tu­gal);

- SUNSTONE, de Fili­pa César e Louis Hen­der­son (Por­tu­gal);

- TERRA, de Hiro­at­su Suzu­ki e Ros­sa­na Tor­res (Por­tu­gal);

- TERRA FRANCA, de Leo­nor Teles (Por­tu­gal),

- TURNO DO DIA, de Pedro Flo­rên­cio (Por­tu­gal);

- VACAS E RAINHAS, de Lau­ra Mar­ques (Por­tu­gal);

- A VOLTA AO MUNDO QUANDO TINHAS 30 ANOS, de Aya Koretzky (Por­tu­gal);

- WILD BERRIES, de Mari­an­na Vas, Hed­da Bed­narszky e Romu­lus Balazs (Romé­nia, Por­tu­gal, Hun­gria).

O Doclis­boa’ 18 decor­re entre 18 e 29 de outu­bro, nos espa­ços da Cul­tur­gest, Cine­ma São Jor­ge, Cine­ma­te­ca Por­tu­gue­sa e Cine­ma Ide­al, em Lis­boa.

Para mais infor­ma­ções con­sul­te o pro­gra­ma do Fes­ti­val.

Fon­te.