Apresentação da Comissão de Honra

A Comis­são de Hon­ra do Encon­tro Naci­o­nal de Cine­clu­bes reú­ne um con­jun­to de per­so­na­li­da­des de esta­do e da região que são fun­da­men­tais para que o encon­tro acon­te­ça no pró­xi­mo fim de sema­na. 

Hoje, em demo­cra­cia, os cine­clu­bes man­tém a sua voca­ção de agen­tes cul­tu­rais na pro­mo­ção e divul­ga­ção, na for­ma­ção e refle­xão sobre o lugar do cine­ma na nos­sa soci­e­da­de. A sua defe­sa do cine­ma por­tu­guês é de todos conhe­ci­da e enal­te­ci­da, con­tri­buin­do para a sua implan­ta­ção naci­o­nal e ajudando-o a projetar-se a nível inter­na­ci­o­nal.

Atra­vés da sua vas­ta implan­ta­ção no ter­ri­tó­rio naci­o­nal os cine­clu­bes têm um papel úni­co no refor­ço da coe­são ter­ri­to­ri­al, enquan­to luga­res de encon­tro, de par­ti­lha de idei­as e de pro­je­ção do futu­ro. Pela sua pre­sen­ça de Nor­te a Sul de Por­tu­gal os cine­clu­bes são por essên­cia espa­ços de des­cen­tra­li­za­ção cul­tu­ral.

- Sua Exce­lên­cia o Pre­si­den­te da Assem­bleia da Repú­bli­ca, Dr. Edu­ar­do Fer­ro Rodri­gues

 

Comissão de Honra

Eduardo Ferro Rodrigues

Sua Exce­lên­cia o Pre­si­den­te da Assem­bleia da Repú­bli­ca
Dr. Edu­ar­do Fer­ro Rodri­gues

António Costa

Sua Exce­lên­cia o Pri­mei­ro Minis­tro do Gover­no de Por­tu­gal
Dr. Antó­nio Cos­ta 

Sua Excelência a Ministra da Cultura, Doutora Graça Fonseca

Sua Exce­lên­cia a Minis­tra da Cul­tu­ra
Dou­to­ra Gra­ça Fon­se­ca

Luís Chaby Vaz

Pre­si­den­te do Con­se­lho Direc­ti­vo do Ins­ti­tu­to do Cine­ma e Audi­o­vi­su­al — I.P.
Dr. Luís Chaby Vaz

António Claudino de Jesus

Pre­si­den­te da Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes
Dr. Antó­nio Clau­di­no de Jesus

Susana Menezes 

Direc­to­ra Regi­o­nal de Cul­tu­ra do Cen­tro
Dou­to­ra Susa­na Mene­zes

Eng. Jorge Sampaio

Vice-Pre­si­den­te e Vere­a­dor da Cul­tu­ra do Muni­cí­pio de Ana­dia
Eng. Jor­ge Sam­paio

José Manuel Romão

Hotel Ter­mas da Curia
Eng. José Manu­el Romão

A pre­ser­va­ção e a pro­mo­ção das ini­ci­a­ti­vas leva­das a cabo pelos diver­sos Cine­clu­bes em todo o país extra­va­sam, em lar­ga medi­da, a sim­ples exi­bi­ção de fil­mes. Cons­ti­tu­em-se, mui­tas vezes, como ver­da­dei­ras expe­ri­ên­ci­as cul­tu­rais e de frui­ção, que são ofe­re­ci­das de for­ma desin­te­res­sa­da, ten­do ape­nas por base a pai­xão pela arte do cine­ma.

Nes­te con­tex­to, além de lou­var, é fun­da­men­tal sal­va­guar­dar o tra­ba­lho de divul­ga­ção do cine­ma por­tu­guês que é fei­to pelos Cine­clu­bes naci­o­nais, que inclu­em nas suas pro­gra­ma­ções todo o tipo de obras, des­de lon­gas a cur­tas-metra­gens, de fic­ção, docu­men­tá­rio e ani­ma­ção, e que pro­mo­vem, igual­men­te, a lite­ra­cia fíl­mi­ca e o deba­te e o olhar crí­ti­co sobre a cine­ma­to­gra­fia lusa.

- Pre­si­den­te do Con­se­lho Direc­ti­vo do Ins­ti­tu­to do Cine­ma e Audi­o­vi­su­al, Dr. Luís Chaby Vaz

Com o pro­pó­si­to de sus­ci­tar a pai­xão pelo cine­ma, de dar a conhe­cer fil­mes e docu­men­tá­ri­os de todo o mun­do, os cine­clu­bes são pro­mo­to­res de impor­tan­tes dinâ­mi­cas cul­tu­rais nos ter­ri­tó­ri­os onde exer­cem a sua ati­vi­da­de, desen­vol­ven­do novos ter­ri­tó­ri­os de par­ti­lha, de inves­ti­ga­ção e sen­si­bi­li­da­de artís­ti­ca e cri­a­ti­va aos quais con­flu­em uma gran­de diver­si­da­de de públi­cos, pro­fis­si­o­nais e não pro­fis­si­o­nais. Fes­ti­vais como o Avan­ca Film Fes­ti­val, em Avan­ca, o Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês, em Coim­bra, ou o Vis­ta Cur­ta, em Viseu,demonstram cla­ra­men­te a vita­li­da­de e impor­tân­cia dos Cine­clu­bes na região Cen­tro. 

- Direc­to­ra Regi­o­nal de Cul­tu­ra do Cen­tro, Dou­to­ra Susa­na Mene­zes

A tra­di­ção de luta pelos direi­tos do públi­co em aces­sar o audi­o­vi­su­al é uma mar­ca pre­sen­te em nos­sas enti­da­des e a Fede­ra­ção Por­tu­gue­sa tem uma tra­je­tó­ria rele­van­te e reco­nhe­ci­da no cená­rio inter­na­ci­o­nal cine­clu­bis­ta. Poder estar pre­sen­te e inte­ra­gir com o movi­men­to cine­clu­bis­ta de Por­tu­gal será uma opor­tu­ni­da­de ímpar para inter­cam­bi­ar­mos nos­sas expe­ri­ên­ci­as, ao mes­mo tem­po que conhe­ce­re­mos o pai­nel diver­so e rico que ocor­re hoje em vos­so país.
Os focos temá­ti­cos cen­trais apre­sen­ta­dos — os desa­fi­os da exi­bi­ção não comer­ci­al e o desen­vol­vi­men­to crí­ti­co da cine­fi­lia no seio dos cine­clu­bes — é um tema de alta rele­vân­cia para o cine­clu­bis­mo em todo o mun­do, guar­da­das as pecu­li­a­ri­da­des de cada país. 

- Pre­si­den­te da Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes, Dr. Antó­nio Clau­di­no de Jesus