Boas festas

O tér­mi­no do ano é um momen­to de balan­ço da acti­vi­da­de do fes­ti­val. XXV edi­ções tam­bém o foram. Intro­du­zi­ram-se e tes­ta­ram-se vári­os mode­los de acti­vi­da­des que na pas­sa­gem do ano ava­li­a­mos e con­si­de­ra­mos a sua exe­cu­ção no futu­ro. Cre­mos que o resul­ta­do geral da nos­sa acti­vi­da­de é uma valo­ri­za­ção geral da rela­ção do Cine­ma Por­tu­guês com os seus públi­cos. 

Há uma déca­da apre­sen­tá­va­mos uma sec­ção com­pe­ti­ti­va e a pro­du­ção anu­al naci­o­nal era redu­zi­da face aos núme­ros expres­sos actu­al­men­te, 250 pro­pos­tas por­tu­gue­sas em 2009 ver­sus 316 em 2019. Essa mai­or pro­du­ção resul­tou numa mai­or exi­gên­cia para con­nos­co, na pro­gra­ma­ção, obri­gan­do-nos a tomar esco­lhas cada vez mais cri­te­ri­o­sas indo ao encon­tro de um leque repre­sen­ta­ti­vo da diver­si­da­de do cine­ma naci­o­nal. 

Se há 10 anos ope­rá­va­mos exclu­si­va­men­te sob o sig­no “cine­ma por­tu­guês”, hoje, com o cine­ma inter­na­ci­o­nal como objec­to com­pa­ra­ti­vo do cine­ma aca­dé­mi­co, assu­mi­mos uma pro­gra­ma­ção mais diver­sa e com­ple­ta com as três sec­ções com­pe­ti­ti­vas do fes­ti­val: Cami­nhos, Ensai­os e Outros Olha­res. O resul­ta­do é uma mai­or visi­bi­li­da­de da pro­du­ção naci­o­nal, num total pro­gra­ma­do supe­ri­or a 5200 minu­tos, pri­vi­le­gi­an­do o cine­ma de cariz auto­ral, de cur­ta-metra­gem, docu­men­tal e ani­ma­ção num espa­ço em que a lon­ga-metra­gem de fic­ção con­ti­nua a reu­nir o con­sen­so do públi­co. Nes­ta déca­da con­se­gui­mos esta­bi­li­zar as nos­sas audi­ên­ci­as médi­as nos 7400 espec­ta­do­res. Nes­te con­jun­to é impor­tan­te refe­rir o tra­ba­lho de apro­xi­ma­ção da arte cine­ma­to­grá­fi­ca naci­o­nal com os públi­cos infan­to-juve­nis, bem como com a popu­la­ção séni­or, pro­mo­ven­do além do lúdi­co: o cine­ma como uma fer­ra­men­ta peda­gó­gi­ca e a lite­ra­cia fíl­mi­ca. 

A for­ma­ção de públi­cos fez-se tam­bém pela pro­mo­ção de ofi­ci­nas, cur­sos, semi­ná­ri­os e expo­si­ções. Após 9 edi­ções o cur­so cine­ma­lo­gia pre­pa­ra-se para ser reto­ma­do no ano lec­ti­vo de 2020/21. Pro­cu­ra­mos melho­rar a ofer­ta indo ao encon­tro da gene­ra­li­da­de das expec­ta­ti­vas que mais de um milhar de alu­nos nos mos­tra­ram ao iní­cio e no tér­mi­no das suas expe­ri­ên­ci­as. O sim­pó­sio “Fusões no Cine­ma” em estrei­ta rela­ção com a Uni­ver­si­da­de Aber­ta em bre­ve lan­ça­rá call for papers numa edi­ção que atra­ves­sa­rá o atlân­ti­co. Por últi­mo cre­mos que a via­gem das “mas­ter ses­si­ons” da gene­ra­li­da­de de uma mesa-redon­da para a pers­pec­ti­va pes­so­al d’O Meu Cine­ma’ veio refor­çar o os laços de pro­xi­mi­da­de entre públi­co e cri­a­do­res. 

Expor é dar ao públi­co a capa­ci­da­de de se con­fron­tar cri­ti­ca­men­te com esco­lhas. A impor­tan­te par­ce­ria cri­a­da com a Gale­ria V, deu-nos fru­tos mui­to inte­res­san­tes que em suma se resu­mem à repre­sen­ta­ção da ideia que há “cine­ma por­tu­guês para todos”. O Ethos do Cine­ma Por­tu­guês que atri­buí­mos a Isa­bel Ruth resul­tou numa expo­si­ção na Sala Bran­ca com fotos de Alí­pio Padi­lha e ins­ta­la­ção vídeo na evo­ca­ção do papel cen­tral que a atriz tem na his­tó­ria do cine­ma naci­o­nal.  Resul­ta­ram ain­da duas expo­si­ções que espe­lham esse mote do fes­ti­val. 25 edi­ções, 25 ilus­tra­ções, espe­lha o impac­to do cine­ma naci­o­nal jun­to da comu­ni­da­de artís­ti­ca evo­can­do-se tam­bém a sua his­tó­ria. A ter­cei­ra expo­si­ção propôs-se a mos­trar os car­ta­zes em com­pe­ti­ção para o pré­mio Melhor Car­taz dos fil­mes da Selec­ção Cami­nhos.

Esta edi­ção foi atí­pi­ca na medi­da em que não apre­sen­tou as mes­mas acti­vi­da­de para­le­las, mas tam­bém nos mos­trou outras opor­tu­ni­da­des. Con­so­li­dam-se os públi­cos, for­ta­le­ce-se a rela­ção com o cine­ma naci­o­nal, mos­tran­do uma pro­gra­ma­ção cada vez mais exi­gen­te, onde ape­nas 24% das pro­pos­tas teve lugar nas esco­lhas finais. 

O balan­ço leva-nos a per­sis­tir e olhar já para a XXVI edi­ção, a rea­li­zar de 20 a 28 de Novem­bro de 2020. O call for movi­es abre a 1 de janei­ro e ter­mi­na­rá a 31 de Julho. Ins­cri­ções em www.filmfreeway.com/caminhos, com o regu­la­men­to do fes­ti­val expres­so em www.caminhos.info/regulamento

Boas fes­tas e até para o ano. 

 

Sai­ba mais na seguin­te liga­ção: Boas fes­tas.