Centro de Estudos Cinematográficos
Logos CCC 10

Casa do Cinema de Coimbra · 3.ª Semana

Na 3.ª sema­na de exi­bi­ções a Casa do Cine­ma de Coim­bra apre­sen­ta 3 suges­tões mar­can­tes que explo­ram os limi­tes do cine­ma e a sua rela­ção com o real e com o tex­to dra­ma­túr­gi­co. Táxi, de Jafar Panahi (82 min); Um Pom­bo Pou­sou num Ramo a Refle­tir na Exis­tên­cia, de Roy Anders­son; e, O Meu Caso, de Mano­el de Oliveira.

publi­ci­da­de

Na 3.ª sema­na de exi­bi­ções a Casa do Cine­ma de Coim­bra apre­sen­ta 3 suges­tões mar­can­tes que explo­ram os limi­tes do cine­ma e a sua rela­ção com o real e com o tex­to dramatúrgico. 

CCC 2021 MaioJunho 125Ter­ça, 25 de Maio, 19h00 | Fila K — Ciclo Cidades
Táxi, de Jafar Panahi (82 min)
Como for­ma de con­tor­nar as res­tri­ções polí­ti­cas que lhe foram impos­tas, Jafar Panahi ins­ta­la uma câma­ra den­tro de um táxi e segue pelas ruas de Tee­rão. À medi­da que vai encon­tran­do cli­en­tes e os con­duz ao des­ti­no, vai ence­tan­do con­ver­sa. Os assun­tos abor­da­dos vão cri­an­do uma espé­cie de mosai­co da soci­e­da­de ira­ni­a­na e abran­gem vári­os temas, des­de a polí­ti­ca naci­o­nal, os cos­tu­mes locais ou mes­mo a liber­da­de de expres­são no Cinema.

+ info

CCC 2021 MaioJunho 129Quar­ta, 26 de Maio, 20h30 | CEC — Tri­lo­gia Absurda
Um Pom­bo Pou­sou num Ramo a Refle­tir na Exis­tên­cia, de Roy Andersson
Dois homens, Sam (Nis­se Vest­blom) e Jonathan (Hol­ger Anders­son), são ven­de­do­res ambu­lan­tes que estão can­sa­dos ​​do mun­do. Um mer­gu­lho sobre o caos atu­al, um qua­se apo­ca­lip­se imi­nen­te, mas que tam­bém enxer­ga o mun­do cheio de peque­nos momen­tos úni­cos, de sonhos e fan­ta­si­as, lem­bran­do da gran­de­za da vida e da fra­gi­li­da­de do homem.

Entra­da Livre a todos os Sóci­os do CEC

+ info

CCC 2021 MaioJunho 133Sex­ta, 28 de Maio, 20h30 | Cami­nhos — Ciclo Mime­sis
O Meu Caso, de Mano­el de Oliveira
Pou­co antes do iní­cio de uma repre­sen­ta­ção tea­tral, um des­co­nhe­ci­do entra em cena para expor o seu pró­prio caso. Logo é inter­rom­pi­do por um tra­ba­lha­dor do tea­tro, depois por uma actriz, até ao autor e por fim toda a com­pa­nhia. Cada qual aca­ba por falar do seu ” pró­prio caso” e gera-se a dis­cus­são. A cena vai final­men­te ter lugar, mas tudo reco­me­ça da mes­ma manei­ra. Ouve-se então um tex­to de Bec­kett. Mais uma vez sobe o pano, des­ta vez o som está ao con­trá­rio, uma ver­da­dei­ra Tor­re de Babel! Segui­da­men­te assis­te-se ao diá­lo­go de Job com Deus, com os mes­mos acto­res da peça a faze­rem de ami­gos de Job. No final, Job e a mulher são feli­zes na Cida­de Ide­al de Pier­ro del­la Francesca.

+ info

BILHETES

TipoNor­malRedu­zi­do
Pon­tu­al4€3€
10 Ses­sões20€15€
Livre-Trân­si­to Mensal30€25€
O Bilhe­te com pre­ço redu­zi­do é reser­va­do a sóci­os das enti­da­des pro­mo­to­ras na Casa do Cine­ma de Coim­bra, enti­da­des par­cei­ras, estu­dan­tes, desem­pre­ga­dos, cine­clu­bis­tas, gru­pos ≥ 10, pro­fis­si­o­nais do espe­tá­cu­lo. Os Sóci­os de cada enti­da­de pro­mo­to­ra têm entra­da livre nas suas ses­sões. Os Asso­ci­a­dos da Cami­nhos do Cine­ma Por­tu­guês que paguem quo­ta anu­al têm livre-trân­si­to em todo o programa.

publi­ci­da­de
publi­ci­da­de