Festival de Documentário de Melgaço começa hoje

publi­ci­da­de

Até 7 de agos­to, Mel­ga­ço, no dis­tri­to de Via­na do Cas­te­lo, é a capi­tal do docu­men­tá­rio.  Na sua 10ª edi­ção, o Fes­ti­val de Docu­men­tá­rio de Mel­ga­ço, que tem como prin­ci­pal mis­são pro­mo­ver e divul­gar o cine­ma etno­grá­fi­co e soci­al, apre­sen­ta 22 lon­gas-metra­gens de 12 paí­ses e 10 curtas.

Ao todo, foram sele­ci­o­na­dos 32 fil­mes que estão a con­cor­rer ao Pré­mio Jean-Loup Pas­sek (para o Melhor Car­taz de Cine­ma) e ao Pré­mio D. Qui­xo­te (atri­buí­do pela Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes), que tra­tam de “ques­tões soci­ais, indi­vi­du­ais e cul­tu­rais rela­ci­o­na­das com iden­ti­da­de, memó­ria e fron­tei­ra?, segun­do a orga­ni­za­ção do festival.

Na nova sec­ção, X‑RAYDOC, com coor­de­na­ção de Jor­ge Cam­pos, faz-se a aná­li­se de um fil­me “cuja impor­tân­cia seja indis­cu­tí­vel para uma His­tó­ria do Docu­men­tá­rio?, refe­re a orga­ni­za­ção. Nes­ta edi­ção inau­gu­ral foi esco­lhi­do o bra­si­lei­ro “Cabra Mar­ca­do Para Mor­rer?, de Edu­ar­do Coutinho […] 

fon­te: Fes­ti­val de Docu­men­tá­rio de Mel­ga­ço come­ça hoje

publi­ci­da­de