Centro de Estudos Cinematográficos

ANIMAÇÃO PORTUGUESA SELECIONADA PARA FESTIVAL NA ALEMANHA

p.p1 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545}p.p2 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545; min-height: 14.0px}span.s1 {text-deco­ra­ti­on: under­li­ne ; color: #e4af0a}A cur­ta O CAPITÃO E A CIDADE é base­a­da no Capi­tão Almei­da Morei­ra, na sua vida e lega­do que dei­xou na cida­de de Viseu, e foi rea­li­za­da por alu­nos da Esco­la Pro­fis­si­o­nal de Torredeita. 

A obra foi o resul­ta­do da ati­vi­da­de “Apren­der em fil­mes?, no âmbi­to do pro­je­to “Cine­ma para as esco­las?, apoi­a­do pelo ICA e pro­mo­vi­do pelo Cine Clu­be de Viseu. Nes­ta ati­vi­da­de os alu­nos tive­ram a opor­tu­ni­da­de de desen­vol­ver o fil­me, a his­tó­ria, as per­so­na­gens, o som e a animação. 

Des­te pro­je­to fazem par­te um con­jun­to de ofi­ci­nas onde é pos­sí­vel expe­ri­men­tar diver­sas téc­ni­cas de ani­ma­ção, como a pixi­la­ção, mari­o­ne­tas de papel recor­ta­do e de plas­ti­ci­na, dese­nhos ani­ma­dos no qua­dro pre­to, e outras. A 

ENCONTRO LUSO-ALEMÃO DE PRODUTORES

p.p1 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545}p.p2 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545; min-height: 14.0px}span.s1 {text-deco­ra­ti­on: under­li­ne ; color: #e4af0a}O 1º encon­tro luso-ale­mão de pro­du­to­res de cine­ma acon­te­ce na cida­de de Lis­boa, onde esta­rão pre­sen­tes mais de 30 pro­du­to­res para apre­sen­tar e dis­cu­tir opor­tu­ni­da­des de coo­pe­ra­ção entre Por­tu­gal e Ale­ma­nha, no âmbi­to de pro­je­tos cinematográficos.

No pri­mei­ro dia do Encon­tro, os pro­du­to­res ale­mães são con­vi­da­dos a assis­tir à ses­são de aber­tu­ra do fes­ti­val Doclis­boa, com a exi­bi­ção de RAMIRO, de Manu­el Mozos.

No dia 20 de outu­bro, no Palá­cio Gal­vei­as, em Lis­boa, é apre­sen­ta­do o atu­al enqua­dra­men­to legal para a rea­li­za­ção de copro­du­ções cine­ma­to­grá­fi­cas entre Por­tu­gal e Ale­ma­nha, bem como as fon­tes de finan­ci­a­men­to exis­ten­tes nos dois paí­ses e a que os cine­as­tas podem recor­rer para apoi­ar o desenvolvimento 

NEW YORK PORTUGUESE SHORT FILM FESTIVAL NO CANADÁ E EM MACAU

p.p1 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545}p.p2 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545; min-height: 14.0px}span.s1 {text-deco­ra­ti­on: under­li­ne ; color: #e4af0a}O Fes­ti­val de cur­tas por­tu­gue­sas NYPSFF, que pro­mo­ve as mais recen­tes obras do cine­ma por­tu­guês, já visi­tou diver­sos paí­ses, um pou­co por todo o mun­do. No total, são 21 os paí­ses e 44 as cida­des que já rece­be­ram o fes­ti­val des­de a sua cri­a­ção, em 2011.

A edi­ção de 2017 do NYPSFF arran­cou em simul­tâ­neo nas cida­de de Nova Ior­que e Cas­cais, em maio, e já pas­sou depois por oito cida­des, nomeadamente:

Win­ni­peg, Cana­dá — 15 de junho.
Lon­dres, Ingla­ter­ra — 23 junho.
Mapu­to, Moçam­bi­que — 20 de julho.
São Pau­lo, Bra­sil — 24 e 27 de agos­to.
Ban­gue­co­que, Tai­lân­dia — 16 e 17 de setem­bro.
Min­de­lo, Cabo Ver­de — 21 e 22 de setem­bro.
Fall River, Esta­dos Uni­dos — 28 de setem­bro.
Mon­tre­al,

DOCUMENTÁRIO SOBRE VENTURA TERRA EM ANTESTREIA NA CINEMATECA

p.p1 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545}p.p2 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545; min-height: 14.0px}span.s1 {text-deco­ra­ti­on: under­li­ne ; color: #e4af0a}VENTURA TERRAPROJETAR A MODERNIDADE é o novo fil­me de Fer­nan­do Car­ri­lho, que dá a conhe­cer a his­tó­ria e tra­ba­lho de Miguel Ven­tu­ra Ter­ra, um dos mais impor­tan­tes arqui­te­tos do séc.XX e tam­bém anti­go vere­a­dor da Câma­ra Muni­ci­pal de Lis­boa, fale­ci­do em 1919. Foi ain­da o pri­mei­ro pre­si­den­te e um dos fun­da­do­res da Asso­ci­a­ção dos Arqui­tec­tos Por­tu­gue­ses.. Ao lon­go da sua car­rei­ra, o arqui­te­to ven­ceu por qua­tro vezes o Pré­mio Val­mor de Arqui­tec­tu­ra (1903, 1906, 1909 e 1911) e rece­beu ain­da uma Men­ção Hon­ro­sa (1913).

Fer­nan­do Car­ri­lho rea­li­zou vári­os docu­men­tá­ri­os, tais como OPHIUSSAUMA CIDADE DE FERNANDO PESSOA (2012), BAIRRO ALTO 

OBRAS PORTUGUESAS NOMEADAS PARA PRÉMIOS FÉNIX

p.p1 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545}p.p2 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545; min-height: 14.0px}span.s1 {text-deco­ra­ti­on: under­li­ne ; color: #e4af0a}Os pré­mi­os de cine­ma ibe­ro-ame­ri­ca­no Fénix foram cri­a­dos pela asso­ci­a­ção Cinema23 e têm como obje­ti­vo pre­mi­ar as obras cine­ma­to­grá­fi­cas ori­gi­ná­ri­as da Amé­ri­ca Lati­na, Espa­nha e Portugal.

No total, esti­ve­ram pré-sele­ci­o­na­das 818 lon­gas-metra­gens, nome­a­da­men­te 506 de fic­ção e 312 docu­men­tá­ri­os, ten­do sido nome­a­das para o Pré­mio 20 obras de fic­ção e 9 documentários.

O pro­ces­so de esco­lha dos ven­ce­do­res do Pré­mio exi­ge uma sele­ção ini­ci­al e pos­te­ri­or nome­a­ção. No que se refe­re à deci­são final, a mes­ma está sujei­ta à vota­ção de um Comi­té que reú­ne pro­fis­si­o­nais da área correspondente.

Veja os fil­mes por­tu­gue­ses nome­a­dos e as diver­sas cate­go­ri­as em que se 

FILMES PORTUGUESES NA VIENNALE

p.p1 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545}p.p2 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545; min-height: 14.0px}span.s1 {text-deco­ra­ti­on: under­li­ne ; color: #e4af0a}O Fes­ti­val de Cine­ma Vien­na­le decor­re todos os anos, com iní­cio no mês de outu­bro, e tem lugar nos cine­mas do cen­tro his­tó­ri­co da cida­de de Vie­na. Em exi­bi­ção esta­rão fil­mes ori­gi­ná­ri­os de todo o mun­do, onde se inclu­em docu­men­tá­ri­os, cur­tas-metra­gens e tra­ba­lhos experimentais.

Os pré­mi­os para as obras ven­ce­do­ras são o Vien­na Film Award (repar­ti­do nas cate­go­ri­as de “Fea­tu­re Film? e “Docu­men­tary?), o FIPRESCI, da Asso­ci­a­ção Inter­na­ci­o­nal de Crí­ti­cos de cine­ma, o Stan­dard Rea­ders Jury Award, do jor­nal DER STANDARD, e o Mehrwert-Film­preis Ers­te Bank, atri­buí­do por um dos prin­ci­pais patro­cí­ni­os do fes­ti­val — o Ers­te Bank. 

Con­fi­ra as obras por­tu­gue­sas pre­sen­tes, bem 

FESTIVAL TEMÁTICO TEMPS D’IMAGES REGRESSA A LISBOA

p.p1 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545}p.p2 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545; min-height: 14.0px}span.s1 {text-deco­ra­ti­on: under­li­ne ; color: #e4af0a}Lisboa rece­be mais uma edi­ção do Fes­ti­val Temps d?Images, que jun­ta as artes do pal­co e as da ima­gem, ofe­re­cen­do ao públi­co uma pro­gra­ma­ção que per­mi­te o apa­re­ci­men­to de novos artis­tas e o tes­te­mu­nho dos que já têm expe­ri­ên­cia no meio. 

Com pro­du­ção da Dupla­ce­na, o Fes­ti­val tem lugar em vári­os espa­ços de Lis­boa, como o Tea­tro da Trin­da­de, Rua das Gai­vo­tas, Tea­tro São Luiz, Tea­tro Maria Matos, Tea­tro Dona Maria II, Cine­ma Ide­al, entre outros.

Além das expo­si­ções, ins­ta­la­ções e espe­tá­cu­los, o cine­ma tam­bém esta­rá pre­sen­te, com a exi­bi­ção de fil­mes por­tu­gue­ses. Con­fi­ra a lis­ta das obras, os horá­ri­os e locais correspondentes:

22 de novem­bro, 19:30H (Rua das Gai­vo­tas 6)
PERGUNTAS

EXIBIÇÃO DE DOCUMENTÁRIOS PORTUGUESES NA TV

p.p1 {mar­gin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px ‘Hel­ve­ti­ca Neue’; color: #454545}span.s1 {text-deco­ra­ti­on: under­li­ne ; color: #e4af0a}O cine­ma por­tu­guês está em des­ta­que duran­te os meses de outu­bro e novem­bro no canal TVCi­ne 2 com a ini­ci­a­ti­va “Espe­ci­al Docu­men­tá­ri­os Por­tu­gue­ses?, onde serão exi­bi­dos fil­mes dos rea­li­za­do­res Cláu­dia Vare­jão, Gon­ça­lo Tocha, Salo­mé Lamas, Júlio Adler e Cata­ri­na Mourão. 

Esta pro­gra­ma­ção con­tem­pla diver­sas obras pre­mi­a­das em fes­ti­vais de cine­ma. A títu­lo de exem­plo, AMA-SAN, de Cláu­dia Vare­jão, ven­ceu o pré­mio de Melhor Fil­me da Com­pe­ti­ção Por­tu­gue­sa do Doclis­boa de 2016, ELDORADO XXI, de Salo­mé Lamas, ven­ceu o Gran­de Pré­mio do Porto/Post/Doc 2016, e BALAOU, de Gon­ça­lo Tocha, ven­ceu os pré­mi­os de melhor lon­ga naci­o­nal e de melhor foto­gra­fia para lon­ga-metra­gem por­tu­gue­sa do Indi­e­Lis­boa de 2007. 

Con­fi­ra a lis­ta das exi­bi­ções, os trai­lers, e horá­ri­os correspondentes: