Centro de Estudos Cinematográficos

Ciclo de Cinema Alemão Contemporâneo

As ses­sões do Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos reto­mam a 24 de Junho, com um ciclo de cine­ma pre­mi­a­do alemão.As ses­sões terão lota­ção limi­ta­da, para que se res­pei­tem as nor­mais sani­tá­ri­as esta­be­le­ci­das pela DGS e pela Direc­ção Geral da AAC

O Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos e o Goethe Ins­ti­tut cola­bo­ram para apre­sen­tar um cur­to ciclo de cine­ma con­tem­po­râ­neo ale­mão. A cine­ma­to­gra­fia ale­mã é e foi, des­de as ori­gens do cine­ma, uma das mais mar­can­tes e influ­en­ci­a­do­ra no pano­ra­ma glo­bal. Nomes como Fritz Lang, Rei­ner Wer­ner Fas­s­bin­der, Wer­ner Her­zog ou Wim Wen­ders mar­ca­ram – e con­ti­nu­am a mar­car – as suas épo­cas e deram-nos fil­mes com impac­to mun­di­al. Ape­sar de, com notá­veis excep­ções, o cine­ma ale­mão ter per­di­do algum ful­gor comer­ci­al nas últi­mas déca­das, tal não sig­ni­fi­ca que tenha per­di­do a urgên­cia e a capa­ci­da­de de cri­ar obras excep­ci­o­nal­men­te ricas. Este ciclo pre­ten­de dar um vis­lum­bre da pro­du­ção ale­mã dos últi­mos 6 anos, da sua ampli­tu­de e da sua rique­za esté­ti­ca e narrativa. 

JUN, 24, 21h45
Vic­to­ria, de Sebas­ti­an Schipper 

JUL, 1, 21h45
The Dre­a­med Path, de Ange­la Schanelec 

JUL, 8, 21h45
Supe­re­gos, de Ben­ja­min Heisenberg 

Ses­sões no Mini-Audi­tó­rio Sal­ga­do Zenha. Lota­ção Redu­zi­da e com pré-reserva.


As ses­sões do Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos reto­mam a 24 de Junho às 21h45, com um ciclo de cine­ma pre­mi­a­do alemão.As ses­sões, a decor­rer no Mini-Audi­tó­rio Sal­ga­do Zenha, terão lota­ção limi­ta­da, para que se res­pei­tem as nor­mais sani­tá­ri­as esta­be­le­ci­das pela DGS e pela Direc­ção Geral da AAC.

O Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos e o Goethe Ins­ti­tut – Por­tu­gal cola­bo­ram para apre­sen­tar um cur­to ciclo de cine­ma con­tem­po­râ­neo ale­mão. A cine­ma­to­gra­fia ale­mã é e foi, des­de as ori­gens do cine­ma, uma das mais mar­can­tes e influ­en­ci­a­do­ra no pano­ra­ma glo­bal. Nomes como Fritz Lang, Rei­ner Wer­ner Fas­s­bin­der, Wer­ner Her­zog ou Wim Wen­ders mar­ca­ram – e con­ti­nu­am a mar­car – as suas épo­cas e deram-nos fil­mes com impac­to mun­di­al. Ape­sar de, com notá­veis excep­ções, o cine­ma ale­mão ter per­di­do algum ful­gor comer­ci­al nas últi­mas déca­das, tal não sig­ni­fi­ca que tenha per­di­do a urgên­cia e a capa­ci­da­de de cri­ar obras excep­ci­o­nal­men­te ricas. Este ciclo pre­ten­de dar um vis­lum­bre da pro­du­ção ale­mã dos últi­mos 6 anos, da sua ampli­tu­de e da sua rique­za esté­ti­ca e narrativa.


24 de Junho — Victoria, de Sebastian Schipper

A câma­ra e a nar­ra­ti­va do fil­me Vic­to­ria, de Sebas­ti­an Schip­per, podem fazer uma pau­sa ape­nas por bre­ves ins­tan­tes. Ela, uma espa­nho­la a viver em Ber­lim, toca pia­no de madru­ga­da num café que mais tar­de deve­ria abrir para os cli­en­tes. Ele, cha­ma­do Son­ne, está a escu­tá-la e fica com um sen­ti­men­to de sau­da­de que o dei­xa sem pala­vras. Uma sau­da­de dele pró­prio e dela. No entan­to, este momen­to sig­ni­fi­ca ape­nas uma pau­sa para recu­pe­rar o fôle­go, antes de ambos se envol­ve­rem num assal­to a um ban­co, no meio de caos, medo, ner­vo­sis­mo, adre­na­li­na, até os sen­ti­men­tos e as cer­te­zas come­ça­rem a trans­for­mar-se. Em 2015, Vic­to­ria ganhou seis pré­mi­os ale­mães de cine­ma. O fil­me trans­por­ta as per­so­na­gens de um espa­ço redu­zi­do e român­ti­co do quo­ti­di­a­no e das suas pos­si­bi­li­da­des direc­ta­men­te para o cos­mos do cine­ma de sus­pen­se, com os seus ban­di­dos, polí­ci­as, as suas his­tó­ri­as de vida e mor­te – e mos­tran­do tudo isto num úni­co pla­no. [Goethe Ins­ti­tut – Portugal] 

Vic­to­ria is the film that out-Bird­mans Birdman.

Ed Pot­ton , Times (UK)
Realizado por Sebastian Schipper
Produzido por Catherine Baikousis
Direção de Fotografia Sturla Brandth Grøvlen
Editado por Olivia Neergaard-Holm
Distribuído por Goethe Institut – Portugal
Data de lançamento: 7 de fevereiro de 2015 (Berlin International Film Festival)
Duração: 138 minutos
País: Alemanha
Língua:  Alemão/ Inglês

1 de Julho — The Dreamed Path, de Angela Schanelec

The­res e Ken­neth são jovens quan­do se conhe­cem duran­te as féri­as de verão na Gré­cia. Apai­xo­nam-se mas não podem fazer nada para impe­dir a sepa­ra­ção imi­nen­te. Trin­ta anos depois, nou­tro país, outro casal: Ari­a­ne dei­xa o mari­do David por­que já não o ama.

As lyri­cal as it is detail-ori­en­ted, and as onei­ric and it is ste­e­ped in rela­ta­ble instances.

Sarah Ward, Goethe-Ins­ti­tu­te Aus­tra­li­en Magazine
Realizado por Angela Schanelec
Produzido por Frieder Schlaich e Irene von Alberti
Direção de Fotografia Reinhold Vorschneider
Editado por Angela Schanelec e Maja Tennstedt
Distribuído por Goethe Institut – Portugal
Data de lançamento: 27 de abril de 2017 (Alemanha)
Duração: 86 minutos
País: Alemanha
Língua:  Alemão

8 de Julho — Superegos, de Benjamin Heisenberg

Quan­do um boé­mio conhe­ce um psi­có­lo­go con­tro­ver­so, rapi­da­men­te tor­na-se tor­na o obje­to invo­lun­tá­rio de inte­res­se e estu­do do médi­co. A vida de Nick é gra­du­al­men­te tra­zi­da de vol­ta ao nor­mal, enquan­to a memó­ria fra­ca de Curt con­se­gue des­co­brir a verdade.

Realizado por Benjamin Heisenberg
Produzido por Komplizen Films
Direção de Fotografia Reinhold Vorschneider
Editado por Stefan Kälin e Andreas Wodraschke
Distribuído por Goethe Institut – Portugal
Data de lançamento: 27 de abril de 2017 (Alemanha)
Duração: 93 minutos
País: Alemanha
Língua:  Alemão

A entra­da no Mini-Audi­tó­rio Sal­ga­do Zenha é livre a todos mas a lota­ção é limi­ta­da. As ses­sões têm iní­cio às às 21h45.

Ao asso­ci­ar-se ao Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos está a con­tri­buir para que pos­sa­mos con­ti­nu­ar a rea­li­zar a exi­bi­ção de cine­ma alter­na­ti­vo, for­ma­ções, o fes­ti­val Cami­nhos e outras acções de for­ma­ção na área da ima­gem em movimento.