Centro de Estudos Cinematográficos

Três dramas e um documentário na programação de dezembro

Museu”, “Azna­vour por Char­les”, “Adeus à Noi­te” e “Cor­pus Chris­ti” são os fil­mes com que o Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos encer­ra 2020. Na sex­ta e no sába­do des­ta e da pró­xi­ma sema­na, a pro­gra­ma­ção cine­clu­bis­ta é reto­ma­da com alguns dos títu­los inter­na­ci­o­nais mais mar­can­tes dos dois últi­mos anos. Pelo ecrã do Estú­dio 2 das Gale­ri­as Ave­ni­da vão pas­sar, entre outros, um nome­a­do ao Óscar de Melhor Fil­me Inter­na­ci­o­nal (2020) e um ven­ce­dor do Urso de Pra­ta para Melhor Argu­men­to no Fes­ti­val de Cine­ma de Ber­lim (2018).

Museu”, “Azna­vour por Char­les”, “Adeus à Noi­te” e “Cor­pus Chris­ti” são os fil­mes com que o Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos encer­ra 2020. Na sex­ta e no sába­do des­ta e da pró­xi­ma sema­na, a pro­gra­ma­ção cine­clu­bis­ta é reto­ma­da com alguns dos títu­los inter­na­ci­o­nais mais mar­can­tes dos dois últi­mos anos. Pelo ecrã do Estú­dio 2 das Gale­ri­as Ave­ni­da vão pas­sar, entre outros, um nome­a­do ao Óscar de Melhor Fil­me Inter­na­ci­o­nal (2020) e um ven­ce­dor do Urso de Pra­ta para Melhor Argu­men­to no Fes­ti­val de Cine­ma de Ber­lim (2018).

É com um assal­to ama­dor — mas nem por isso menos “bada­la­do” — ao Museu Naci­o­nal de Antro­po­lo­gia da Cida­de do Méxi­co que a pro­gra­ma­ção arran­ca na noi­te de 11 de dezem­bro. Gael Gar­cía Ber­nal e Leo­nar­do Ortiz­gris dão vida aos “estu­dan­tes-sal­te­a­do­res” res­pon­sá­veis pelo rou­bo de vali­o­sos arte­fac­tos. O argu­men­to do “Museu” de Alon­so Ruiz­pa­la­ci­os ven­ceu mes­mo o Urso de Pra­ta para Melhor Argu­men­to no Fes­ti­val de Cine­ma de Ber­lim de 2018.

Pas­san­do do dra­ma ao docu­men­tá­rio, a noi­te de sába­do traz-nos “Azna­vour por Char­les”. A pelí­cu­la resul­ta da edi­ção de lon­gas horas de fil­ma­gens fei­tas pelo pró­prio Char­les Azna­vour na sua pri­mei­ra câma­ra de fil­mar — uma Pail­lard que lhe fora ofe­re­ci­da por Edith Piaf. O fil­me con­ta, por isso, com a assi­na­tu­ra do pró­prio cine­as­ta, mas tam­bém com o nome de Marc di Domenico.

Adeus à Noi­te”, em exi­bi­ção a 18 de dezem­bro, apre­sen­ta Cathe­ri­ne Deneu­ve no papel de Muri­el, uma avó que, intri­ga­da com o com­por­ta­men­to do pró­prio neto, vem a des­co­brir uma rea­li­da­de deses­pe­ran­te e que a impe­le a agir. Ten­do André Téchi­né na cadei­ra de rea­li­za­ção, o fil­me foi lan­ça­do no verão des­te ano.

Se foi um dra­ma a inau­gu­rar a pro­gra­ma­ção cine­clu­bis­ta des­te final de mês, é tam­bém este o géne­ro que a encer­ra na noi­te de 19 de dezem­bro. Pelas 20h30, os espec­ta­do­res podem conhe­cer a his­tó­ria do jovem Dani­el que, depois de uma “expe­ri­ên­cia espi­ri­tu­al trans­for­ma­do­ra” num cen­tro de deten­ção juve­nil, deci­de tor­nar-se padre. Tal ambi­ção não é, no entan­to, con­cre­ti­zá­vel em vir­tu­de do seu ante­ce­den­te cri­mi­nal. “Cor­pus Chris­ti”, do pola­co Jan Koma­sa, foi nome­a­do para o Óscar de Melhor Fil­me Inter­na­ci­o­nal (2020).

A Pro­gra­ma­ção é exi­bi­da no Estú­dio 2 das Gale­ri­as Avenida

11 de dezem­bro, 20h30
Museu, de Alon­so Ruizpalacios

12 de dezem­bro, 20h30
Azna­vour por Char­les, de Char­les Azna­vour e Marc di Domenico

18 de dezem­bro, 20h30
Adeus à Noi­te, de André Téchiné

19 de dezem­bro, 20h30
Cor­pus Chris­ti, de Jan Komasa

Os ingres­sos têm um cus­to de 4€ para o públi­co-geral, sen­do que os sóci­os do CEC, Estu­dan­tes e Comu­ni­da­de da Uni­ver­si­da­de de Coim­bra têm aces­so por 3€.