Centro de Estudos Cinematográficos

OURO E PRATA PARA CURTAS PORTUGUESAS EM BILBAU

ALTAS CIDADES DE OSSADAS, cur­ta-metra­gem de João Sala­vi­za, ganhou o Mikel­di de Ouro para Melhor Fil­me na cate­go­ria de Fic­ção. SURPRESA, de Pau­lo Patrí­cio, rece­beu o Mikel­di de Pra­ta na cate­go­ria de Animação.

O fil­me de ani­ma­ção NEGATIVE SPACE (Fran­ça) rece­beu o Gran­de Pré­mio do Fes­ti­val, ten­do o júri atri­buí­do men­ções espe­ci­ais a LIMBO (Irão) e NOS FALTAN (Méxi­co).

A entre­ga de pré­mi­os da 59.ª edi­ção do ZINEBI acon­te­ceu na pas­sa­da sex­ta-fei­ra, 17 de novem­bro, no encer­ra­men­to do festival.

Conhe­ça a lis­ta com­ple­ta de ven­ce­do­res.

Cinema Português em Israel

A 13ª edi­ção da Sema­na do Cine­ma Por­tu­guês vai decor­rer nas cine­ma­te­cas de Tela­vi­ve, Jeru­sa­lém, Hai­fa e Holon, em Israel.

Da pro­gra­ma­ção fazem par­te qua­tro lon­gas e cin­co cur­tas-metra­gens, inte­gra­das num pro­gra­ma inti­tu­la­do “Short Day // PT Best Short Films Ever?. O rea­li­za­dor João Nico­lau esta­rá pre­sen­te na ses­são de aber­tu­ra, onde será exi­bi­da a sua obra JOHN FROM.

Os fil­mes inte­gra­dos nes­ta Sema­na do Cine­ma Por­tu­guês são:

Lon­gas-metra­gens
John from, de João Nico­lau
A Mãe e o Mar, de Gon­ça­lo Tocha,
Um Fim do Mun­do, de Pedro Pinho
El Dora­do XXI, de Salo­mé Lamas

Cur­tas-metra­gens
A sus­pei­ta, de José Miguel Ribei­ro
Are­na, de João Sala­vi­za
His­tó­ria trá­gi­ca com final feliz, de Regi­na Pes­soa
Um dia frio, de Cláu­dia Vare­jão
Amé­lia e Duar­te, de Ali­ce Gui­ma­rães e Móni­ca Santos 

A Sema­na do Cinema 

Cinema em debate em São João da Madeira

Duran­te dois dias, os par­ti­ci­pan­tes do IV Sim­pó­sio Inter­na­ci­o­nal Fusões no Cine­ma vão deba­ter prá­ti­cas artís­ti­cas e edu­ca­ti­vas e os novos papéis dos dife­ren­tes agen­tes envol­vi­dos na dinâ­mi­ca cri­a­ti­va e ope­ra­ti­va da arte, da edu­ca­ção e da cultura.

Com um pro­gra­ma cen­tra­do sobre­tu­do na linha temá­ti­ca Cine­ma, Inves­ti­ga­ção e Edu­ca­ção, serão apre­sen­ta­das no Sim­pó­sio mais de uma deze­na de comu­ni­ca­ções, entre con­fe­rên­ci­as e mesas redon­das.
Na ses­são de aber­tu­ra, agen­da­da para dia 17 de novem­bro, às 18h00, Fran­cis­co Gar­cía Gar­cía, da Uni­ver­si­dad Com­plu­ten­se de Madrid, dá iní­cio aos tra­ba­lhos com a apre­sen­ta­ção “Cine y edu­ca­ción para el cam­bio soci­al?. A encer­rar o cer­ta­me, no dia 18, às 17h00, Gerar­do Oje­da Cas­tañe­da, da Escu­e­la de Altos Estu­di­os em Comu­ni­ca­ción Educativa/Instituto Lati­no­a­me­ri­ca­no de la Comu­ni­ca­ción Edu­ca­ti­va, abor­da­rá o tema “Cine Cien­tí­fi­co y Edu­ca­ti­vo: Apun­tes para nar­ra­ti­vas y for­ma­tos digitales 

FIKE entrega prémio de Melhor animação a Limoeiro

O tro­féu de Melhor Fic­ção foi entre­gue a AND SO WE PUT GOLDFISH IN THE POLL, de Mako­to Nagahi­sa (Japão), e PULSE, de Robin Pétre (Hun­gria), ganhou na cate­go­ria de Melhor Documentário.

O fes­ti­val entre­gou os Diplo­mas de Melhor Argu­men­to a A BRIEF HISTORY OF PRINCESS X, de Gabri­el Abran­tes, Melhor Foto­gra­fia a IMPORT, de Ena Sen­di­ja­re­vic, e Melhor Repre­sen­ta­ção a Joa­na Bar­ri­os, pelo seu tra­ba­lho em A BRIEF HISTORY OF PRINCESS X.

O júri deci­diu ain­da atri­buir men­ções hon­ro­sas em todas as cate­go­ri­as a con­cur­so, nome­a­da­men­te: IMPORT, de Ena Sen­di­ja­re­vic, na cate­go­ria de Melhor Fic­ção; ÁGUA MOLE, de Ale­xan­dra Rami­res (Xá) e Lau­ra Gon­çal­ves, na cate­go­ria de Melhor Docu­men­tá­rio; LUGAR EM PARTE NENHUMA, de Bár­ba­ra de Oli­vei­ra e João Rodri­gues, na cate­go­ria de Melhor Ani­ma­ção; ESTILHAÇOS, de José Miguel Ribei­ro, na cate­go­ria de Melhor Argu­men­to; CIDADE PEQUENA, de Dio­go Cos­ta Ama­ran­te, na cate­go­ria de Melhor Foto­gra­fia; e Bea­triz Brás, na cate­go­ria de Melhor Representação 

Prémios Cinanima 2017

Na com­pe­ti­ção naci­o­nal, o júri do 41.º Cina­ni­ma atri­buiu ain­da uma Men­ção Hon­ro­sa a SURPRESA, de Pau­lo Patrício.

UM MARIDO E UMA MULHER. UMA HISTÓRIA VOITAN, de Mai­te Laas, ven­ceu o Pré­mio Alves Cos­ta para Melhor Cur­ta-metra­gem até 5 minu­tos e CATHERINE, de Britt Raes, foi con­si­de­ra­da a Melhor Cur­ta-metra­gem de mais de 5 até 24 minu­tos. O júri atri­buiu ain­da uma Men­ção Hon­ro­sa na cate­go­ria de cur­tas-metra­gens até 5 minu­tos a PASSEIO ALTERNATIVO, de Ivan Maxi­mov, e três Men­ções Hon­ro­sas na cate­go­ria de mais de 5 até 24 minu­tos aos por­tu­gue­ses SURPRESA, de Pau­lo Patrí­cio, e ÁGUA MOLE, de Lau­ra Gon­çal­ves e Ale­xan­dra Rami­rez (Xá), e tam­bém a PELE POR PELE, de Carol Bee­cher e Kevin Kuryt­nik (Cana­dá).

O Pré­mio Jovem Cine­as­ta Por­tu­guês, na cate­go­ria até 18 anos, foi entre­gue à cur­ta-metra­gem L LHOBO QUE BIENO DE SPANHA, rea­li­za­da pelo Colec­ti­vo de Jovens das Ofi­ci­nas da Anilupa 

A FÁBRICA DE NADA VENCE EM SEVILHA

Os mem­bros do júri da com­pe­ti­ção ofi­ci­al inter­na­ci­o­nal atri­buí­ram o Giral­dil­lo de Oro (Pré­mio para Melhor Fil­me) ao por­tu­guês A FÁBRICA DE NADA, de Pedro Pinho, um fil­me “pró­xi­mo e atre­vi­do, que leva o espec­ta­dor numa via­gem visi­o­ná­ria e dra­ma­ti­ca­men­te rea­lis­ta?, onde “o docu­men­tá­rio, a fic­ção e o musi­cal con­vi­vem de for­ma bri­lhan­te?. A esco­lha do júri deveu-se ain­da ao fac­to de a obra de Pedro Pinho se “cen­trar na com­ple­xa situ­a­ção eco­nó­mi­ca con­tem­po­râ­nea, com uma abor­da­gem anti-retó­ri­ca, poé­ti­ca e pro­fun­da­men­te original.?

ZAMA, de Lucre­cia Mar­tel, copro­du­zi­do pela por­tu­gue­sa O Som e a Fúria, rece­beu uma men­ção espe­ci­al dos mes­mos jura­dos, por tra­tar-se de um fil­me que de uma for­ma “trans­na­ci­o­nal, trans­ter­ri­to­ri­al, poé­ti­ca e polí­ti­ca, explora