Centro de Estudos Cinematográficos

Seder-Masochism

O cine­ma é, para além de um objec­to lúdi­co, uma fer­ra­men­ta de comu­ni­ca­ção, edu­ca­ção e sen­si­bi­li­za­ção. Con­ti­nu­an­do a pro­mo­ção do cine­ma de ani­ma­ção como uma fer­ra­men­ta crí­ti­ca da soci­e­da­de é exi­bi­da a 12 de Feve­rei­ro, às 21h45 no Mini-Audi­­tó­­rio Sal­ga­do Zenha, a lon­­ga-metra­­gem Seder-Maso­­chism, de Nina Paley.

Estre­a­da em 2018 no fes­ti­val de Annecy e ven­ce­do­ra do pré­mio do públi­co do fes­ti­val pola­co Ani­ma­tor, é uma pelí­cu­la que explo­ra o “Livro do Êxo­do”, espe­ci­al­men­te his­tó­ri­as asso­ci­a­das ao Sêder de Pes­sa­ch, como a mor­te do pri­mo­gê­ni­to egíp­cio e Moi­sés levan­do os isra­e­li­tas à escra­vi­dão no Egi­to. O fil­me des­cre­ve esses even­tos em um cená­rio de cul­to gene­ra­li­za­do à Gran­de Deu­sa Mãe, mos­tran­do a ascen­são do patri­ar­ca­do.

O cine­ma é, para além de um objec­to lúdi­co, uma fer­ra­men­ta de comu­ni­ca­ção, edu­ca­ção e sen­si­bi­li­za­ção. Con­ti­nu­an­do a pro­mo­ção do cine­ma de ani­ma­ção como uma fer­ra­men­ta crí­ti­ca da soci­e­da­de é exi­bi­da a 12 de Feve­rei­ro, às 21h45 no Mini-Audi­­tó­­rio Sal­ga­do Zenha, a lon­­ga-metra­­gem Seder-Maso­­chism, de Nina Paley.

Estre­a­da em 2018 no fes­ti­val de Annecy e ven­ce­do­ra do pré­mio do públi­co do fes­ti­val pola­co Ani­ma­tor, é uma pelí­cu­la que explo­ra o “Livro do Êxo­do”, espe­ci­al­men­te his­tó­ri­as asso­ci­a­das ao Sêder de Pes­sa­ch, como a mor­te do pri­mo­gê­ni­to egíp­cio e Moi­sés levan­do os isra­e­li­tas à escra­vi­dão no Egi­to. O fil­me des­cre­ve esses even­tos em um cená­rio de cul­to gene­ra­li­za­do à Gran­de Deu­sa Mãe, mos­tran­do a ascen­são do patri­ar­ca­do.

Rio 2096: Uma História de Amor e Fúria

O pro­jec­to “Cine­ma e Refle­xão” apre­sen­ta um con­jun­to de ses­sões espe­ci­ais, ciclos temá­ti­cos e cur­sos bre­ves, onde se explo­ra­rá, reflec­ti­rá e dis­cu­ti­rá o papel do cine­ma como fer­ra­men­ta que des­per­ta o pen­sa­men­to crí­ti­co, refle­xi­vo e até inter­ven­ti­vo. Nes­ta sema­na con­ti­nu­a­mos a olhar para a ani­ma­ção como uma fer­ra­men­ta crí­ti­ca da Soci­e­da­de. Será exi­bi­do no dia 5 de Feve­rei­ro o fil­me “Rio 2096: Uma His­tó­ria de Amor e Fúria” de Luiz Bolog­ne­si, com Sel­ton Mel­lo, Cami­la Pitan­ga e Rodri­go San­to­ro.

O pro­jec­to “Cine­ma e Refle­xão” apre­sen­ta um con­jun­to de ses­sões espe­ci­ais, ciclos temá­ti­cos e cur­sos bre­ves, onde se explo­ra­rá, reflec­ti­rá e dis­cu­ti­rá o papel do cine­ma como fer­ra­men­ta que des­per­ta o pen­sa­men­to crí­ti­co, refle­xi­vo e até inter­ven­ti­vo. Nes­ta sema­na con­ti­nu­a­mos a olhar para a ani­ma­ção como uma fer­ra­men­ta crí­ti­ca da Soci­e­da­de. Será exi­bi­do no dia 5 de Feve­rei­ro o fil­me “Rio 2096: Uma His­tó­ria de Amor e Fúria” de Luiz Bolog­ne­si, com Sel­ton Mel­lo, Cami­la Pitan­ga e Rodri­go San­to­ro. Uma ses­são com o apoio da Legend­main e Euro­pa Fil­mes.

Rio 2096: Uma His­tó­ria de Amor e Fúria de Luiz Bolog­ne­si ven­ceu o seu prin­ci­pal pré­mio do Annecy Inter­na­ti­o­nal Ani­ma­ted Film Fes­ti­val, em Fran­ça, tor­­nan­­do-se a pri­mei­ra ani­ma­ção bra­si­lei­ra a ser sele­ci­o­na­da para essa com­pe­ti­ção

Programação “Cinema e Reflexão”

A pro­gra­ma­ção “Cine­ma e Refle­xão” apre­sen­ta um con­jun­to de ses­sões espe­ci­ais, ciclos temá­ti­cos e cur­sos bre­ves, onde se explo­ra­rá, reflec­ti­rá e dis­cu­ti­rá o papel do cine­ma como fer­ra­men­ta que des­per­ta o pen­sa­men­to crí­ti­co, refle­xi­vo e até inter­ven­ti­vo.

O Jardim das Aflições de Josias Teófilo

Mar­can­do o iní­cio da últi­ma sema­na de pro­jec­ções cine­ma­to­grá­fi­cas, o pro­jec­to Fusões no Cine­ma vem des­ta vez pro­jec­tar na tela a car­ga filo­só­fi­ca que pode estar impres­sa na pelí­cu­la. Este docu­men­tá­rio rea­li­za­do por Josi­as Teó­fi­lo vai ao encon­tro do uni­ver­so de Ola­vo de Car­va­lho e da cons­tru­ção dos seus argu­men­tos filo­só­fi­cos.

O pen­sa­men­to de Ola­vo de Car­va­lho per­so­ni­fi­ca­do pela sua pre­sen­ça, roti­na de tra­ba­lho e con­ví­vio fami­li­ar na Vir­gí­nia (EUA), onde mora atu­al­men­te. O fil­me par­te dos temas do livro homô­ni­mo que ele publi­cou em 1995, tais como o sim­bo­lis­mo dos jar­dins na tra­di­ção filo­só­fi­ca, liber­da­de indi­vi­du­al e opres­são do cole­ti­vo, o pen­sa­men­to aris­to­té­li­co, e che­ga a um dos temas cen­trais do seu pen­sa­men­to: a mor­te e a filo­so­fia – aque­las idei­as que con­ti­nu­am sen­do impor­tan­tes para nós em face da mor­te – ten­do como mote a per­gun­ta: “O que você vai fazer com a sua vida enquan­to é tem­po?”.

A ses­são ocor­re­rá no dia 18 de dezem­bro às 22:00 e a entra­da no Mini-Audi­tó­rio Sal­ga­do Zenha é livre.