Centro de Estudos Cinematográficos
image

O dia do cinematógrafo

Des­de 2015 que o Cine­clu­be de Faro tem cele­bra­do a data de 28 de Dezem­bro de 1895 e o mila­gre da inven­ção do Cine­ma. Nes­sa data os irmãos Lumié­re leva­ram a cabo a pri­mei­ra ses­são de cine­ma atrain­do os pri­mei­ros 33 espec­ta­do­res de cine­ma, que atraí­dos por um car­taz que anun­ci­a­va a nova inven­ção e 10 “ temas atu­ais”, paga­ram para assis­tir à pri­mei­ra exi­bi­ção (comer­ci­al) de cine­ma da his­tó­ria da Humanidade. 

Estes 33 espec­ta­do­res foram assim os pio­nei­ros dos espec­ta­do­res de cine­ma ini­ci­an­do um movi­men­to que hoje nos é natu­ral: a des­lo­ca­ção à sala escu­ra para des­co­brir o “mila­gre” das ima­gens em movi­men­to. É com este sen­ti­do de amor, de mis­são e de cele­bra­ção do nas­ci­men­to do Cine­ma que o Cine­clu­be de Faro inau­gu­rou esta ini­ci­a­ti­va e à qual se jun­tou o Cen­tro de Estu­dos Cinematográficos/AAC, em 2020.

O pro­gra­ma em Faro inse­re-se numa ini­ci­a­ti­va cha­ma­da Zoom In, dedi­ca­da a Jor­ge Sil­va Melo, ten­do o CCF con­vi­da­do esta figu­ra incon­tor­ná­vel da Cul­tu­ra Por­tu­gue­sa para ser o cura­dor des­ta edição.

Em Coim­bra pro­mo­ve­mos a exi­bi­ção de “Lumiè­re!”, de Thi­er­ry Fré­maux, uma home­na­gem à fun­da­ção do cine­ma, mar­can­do-se a fron­tei­ra entre a ino­va­ção téc­ni­ca e o iní­cio da cri­a­ção de uma nova lin­gua­gem artís­ti­ca. Uma arte cri­a­da para além do regis­to da ima­gem em movi­men­to, mas tam­bém pela for­ma de o dar a ver numa sala.

95673503 234343557628993 3542070038796173312 n scaled

Cine-Conversas em Maio

Em maio, em par­ce­ria com o Cine­clu­be de Faro, assi­na­la­mos o mês do públi­co. O dia 10 de Maio tem sido inter­na­ci­o­nal­men­te cele­bra­do sob a desig­na­ção de  ‘dia do públi­co’ com base em acon­te­ci­men­tos his­tó­ri­cos (a revol­ta de Astor Pla­ce, New York 1849) e em deli­be­ra­ções nos encon­tros da Fede­ra­ção Inter­na­ci­o­nal de Cine­clu­bes (Car­ta dos Direi­tos do Públi­co, Tabor 1987; O Públi­co somos Nós, Méxi­co 2008; O dia do Públi­co, Bra­sil 2010).

Vive­mos tem­pos de dis­tan­ci­a­men­to físi­co, de tele­tra­ba­lho (imer­so em vide­o­con­fe­rên­ci­as), de reco­lhi­men­to éti­co, de repo­si­ci­o­na­men­tos vári­os face ao ambi­en­te e à huma­ni­da­de, de con­ten­ção soli­dá­ria… E por­que todos somos públi­co que ama o cine­ma sem pre­ten­der­mos ser ins­tru­men­to de comu­ni­ca­ção mas da orga­ni­za­ção crí­ti­ca e criativa.

Gra­ças à gene­ro­si­da­de dos auto­res, dos cine­clu­bes e do arqui­vos que dis­po­ni­bi­li­zam e pro­mo­vem gra­tui­ta­men­te as obras cine­ma­to­grá­fi­cas por todo o mun­do. Assim foi pro­pos­to o ciclo “As Esco­lhas do Público”!

Esta pro­gra­ma­ção é uma ini­ci­a­ti­va em rede do Cine­clu­be de Faro e con­ta com a par­ti­ci­pa­ção por­tu­gue­sa  do Cine­clu­be de Tomar, do Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos — Cine­clu­be Uni­ver­si­tá­rio de Coim­bra, Cine­clu­be de Gui­ma­rães, Cine­clu­be de Tor­res Novas, Cine­clu­be da Bair­ra­da e Cine­clu­be de Vila do Con­de.

image 3

Culturas Fílmicas a partir de casa

Cine­clu­bis­mo e Cul­tu­ras Fíl­mi­cas a par­tir de casa como res­pos­ta sau­dá­vel aos tem­pos de contenção

O Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos asso­­­cia-se à Comis­são de For­ma­ção do Cine­clu­be de Faro par­ti­ci­pan­do nas ações à dis­tân­cia de refle­xão e for­ma­ção crí­ti­ca sobre fil­mes da his­tó­ria do cine­ma para desen­vol­vi­men­to pes­so­al da cine­fi­lia atra­vés de encon­tros vir­tu­ais para dis­cus­são em gran­de grupo.

Com base no pro­gra­ma ‘A Esco­la Vai ao Cine­clu­be’, os estu­dan­tes de Cul­tu­ras Fíl­mi­cas, com o apoio do Prof. Dou­tor Fran­cis­co Gil, (ESEC-UAlg) desen­vol­ve­ram um ciclo para aná­li­se e deba­te sobre o que con­si­de­ram essen­ci­al explo­rar com a comu­ni­da­de aca­dé­mi­ca e cinéfila.

Estes con­tac­tos sobre o arqui­vo, as cole­ções, a his­tó­ria, a mis­são e a ati­vi­da­de cine­clu­bis­ta reve­­­la­­­ram-se pro­fí­cu­os para o desen­vol­vi­men­to crí­ti­co e cri­a­ti­vo dos estu­dan­tes nes­te per­cur­so em que ago­ra pro­por­ci­o­nam as suas esco­lhas fundamentais.

Os nos­sos asso­ci­a­dos pode­rão se ins­cre­ver gra­tui­ta­men­te nas ações, deven­do se pre­pa­rar com ante­ce­dên­cia sobre a programação.

Cine­clu­bis­mo e Cul­tu­ras Fíl­mi­cas a par­tir de casa como res­pos­ta sau­dá­vel aos tem­pos de contenção

O Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos asso­­cia-se à Comis­são de For­ma­ção do Cine­clu­be de Faro par­ti­ci­pan­do nas ações à dis­tân­cia de refle­xão e for­ma­ção crí­ti­ca sobre fil­mes da his­tó­ria do cine­ma para desen­vol­vi­men­to pes­so­al da cine­fi­lia atra­vés de encon­tros vir­tu­ais para dis­cus­são em gran­de gru­po.

Com base no pro­gra­ma ‘A Esco­la Vai ao Cine­clu­be’, os estu­dan­tes de Cul­tu­ras Fíl­mi­cas, com o apoio do Prof. Dou­tor Fran­cis­co Gil, (ESEC-UAlg) desen­vol­ve­ram um ciclo para aná­li­se e deba­te sobre o que con­si­de­ram essen­ci­al explo­rar com a comu­ni­da­de aca­dé­mi­ca e cinéfila.

Estes con­tac­tos sobre o arqui­vo, as cole­ções, a his­tó­ria, a mis­são e a ati­vi­da­de cine­clu­bis­ta reve­­la­­ram-se pro­fí­cu­os para o desen­vol­vi­men­to crí­ti­co e cri­a­ti­vo dos estu­dan­tes nes­te per­cur­so em que ago­ra pro­por­ci­o­nam as suas esco­lhas fundamentais.

Os nos­sos asso­ci­a­dos pode­rão se ins­cre­ver gra­tui­ta­men­te nas ações, deven­do se pre­pa­rar com ante­ce­dên­cia sobre a programação.